Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Fifa anuncia lucro de R$ 66 milhões em 2011

Dados foram divulgados nesta sexta-feira após a reunião do Comitê Executivo da entidade na Suíça

EFE |

O Comitê Executivo da Fifa aprovou nesta sexta-feira o relatório financeiro de 2011, que reflete um resultado anual positivo de US$ 36 milhões (R$ 66 milhões), com receitas de US$ 1,07 bilhão e despesas de US$ 1,034 bilhão. Segundo os dados divulgados pela entidade, 75% das despesas foram para eventos da organização e projetos de desenvolvimento. Também foi aprovado um orçamento de despesas de US$ 994 milhões para 2013.

O comitê também deu respaldo ao chamado "seguro mundial de jogadores", em nome das associações e federações membros, que entrará em vigor em agosto de 2012 e permitirá que a Fifa assegure os jogadores envolvidos em todos os jogos de seleções principais do calendário internacional. A proposta, que tem um orçamento provisório de US$ 100 milhões, será repassada ao Congresso que a entidade realizará nos dias 24 e 25 de maio deste ano em Budapeste para aprovação definitiva.

VEJA TAMBÉM: Blatter diz que Brasil precisa fazer mais e falar menos

A Fifa comunicou ainda a proposta do grupo de trabalho do calendário internacional de partidas para o período 2015-2018, que estará estruturado em ciclos bienais no qual está representado o próprio organismos, as seis confederações continentais, os clubes, as ligas e o sindicato internacional de jogadores FIFPro.

O calendário inclui 9 datas duplas organizadas em períodos internacionais, que irão de uma segunda-feira à terça-feira da semana seguinte, e uma data dupla extra em junho de 2016 para todas as confederações, exceto a Uefa, que realizará então a Eurocopa da França.

LEIA MAIS: Governo se irrita com críticas da Fifa, mas não deve responder

Os períodos internacionais seriam em setembro, outubro, novembro, março e junho, com a ressalva do mês de junho para a Uefa na temporada 2015/2016 e do mesmo mês para todas as confederações na temporada 2017/2018, que culminará com a Copa do Mundo da Rússia.

Quanto à governabilidade, o Comitê Executivo reformou as comissões de Ética e de Auditoria e Conformidade, após a apresentação das propostas dos grupos de trabalho da Comissão de Ética, Revisão do Estatuto, Transparência e Cumprimento e a Comissão Independente de Governabilidade. As reformas, que serão repassadas ao Congresso de maio, incluem uma nova estrutura da Comissão de Ética, com um órgão de instrução e outro de decisão, e a responsabilidade desta para analisar o perfil dos aspirantes a oficiais da Fifa. Também está prevista a incorporação ao Estatuto da Fifa de 2013 da decisão do Congresso, tomada em 2011, que as sedes da Copa do Mundo passarão a ser escolhidas pelo Congresso.

O Comitê Executivo, que vinha escolhendo o país sede, passará a elaborar uma lista a partir da qual o Congresso fará sua escolha. A reforma interna da International Board, que determina as regras do jogo, a incorporação de uma mulher como membro do Comitê Executivo, que será escolhida em 2013, e o aumento das responsabilidades do Comitê de Auditoria são outros dos acordos adotados.

 


 

Leia tudo sobre: Copa 2014FifaJoseph Blatter

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG