Bem recebido no time, meia afirma que já conversou com seus procuradores para estender contrato de dois anos

Souza jogou seis temporadas pelo São Paulo, passou três anos no Grêmio e tem pouco mais de um mês de Fluminense . Mas a receptividade do elenco e a rápida adaptação ao novo clube impressionaram tanto o meia que ele admite estar vivendo um dos momentos mais felizes de sua carreira e afirma já ter conversado com seus procuradores para estender o compromisso de dois anos com o time das Laranjeiras.

“A recepção de todos foi maravilhosa. Desde os jogadores e funcionários, até os torcedores. Cheguei aqui tem pouco mais de um mês e parece que joguei aqui a vida toda. Eu tenho contrato de dois anos com o Fluminense, mas quero renovar por mais tempo. Me sinto bem aqui, gosto do clube e não descarto encerrar minha carreira nas Laranjeiras. Eu estou muito empolgado com o projeto do clube e vivo um dos momentos mais felizes da minha carreira”, revelou o jogador, em entrevista exclusiva por telefone ao iG .

Mas a boa impressão não se restringe apenas ao clube e seus torcedores. Impressionado com a qualidade do elenco quando a bola rola, Souza compara o atual campeão brasileiro com a equipe do São Paulo de 2004, que revelou nomes como Mineiro, Danilo, Fabão, entre outros, e iniciou uma hegemonia no futebol brasileiro.

“Tudo se parece. Da qualidade do elenco ao ambiente, passando pela amizade que existe entre os jogadores e o treinador. Assim como naquele São Paulo, todos aqui são amigos e se ajudam. Isso não é comum no futebol e tem muito do dedo do Muricy. Aquele time tinha grandes jogadores, mas que ainda eram desconhecidos, como eu, o Mineiro, o Danilo. É prazeroso vir treinar todos os dias aqui”, comparou o meia.

Souza defende o Fluminense diante do Duque de Caxias pela Taça Guanabara
Photocamera
Souza defende o Fluminense diante do Duque de Caxias pela Taça Guanabara

Mas o prazer apontado por Souza nos treinamentos passa para dentro de campo durante os jogos. Experiente e com passagens por dez clubes, dois fora do país, Souza garante que jamais viu tanto companheirismo em um grupo como no atual campeão brasileiro.

“Não foi à toa que o Fluminense foi campeão brasileiro ano passado. Aqui não tem vaidade, egoísmo e ninguém se acha melhor do que o outro. O Fred é o maior exemplo disso. Ele é um jogador fora de sério, capitão da equipe e sempre que marca faz questão de correr para abraçar o autor do passe. Cara, isso pode ser um gesto pequeno para ele ou para o torcedor, mas é importante demais para quem deu a assistência. Isso no final faz a diferença”, explicou.

Souza garante que não tem bola de cristal, mas é por essas e outras que ele aposta no sucesso do time comandado por Muricy Ramalho na temporada 2011. Para o meia, com o elenco que o clube formou e a estrutura oferecida pela patrocinadora, o Fluminense tem tudo para começar uma dinastia no futebol brasileiro.

“Eu não sou a Mãe Dinah e tampouco o Chico Xavier, mas com o treinador que nós temos e a qualidade desse grupo, eu tenho certeza de que vou conquistar títulos aqui. Só uma tragédia poderá impedir que isso aconteça. Esse time tem tudo para fazer história com a camisa do Fluminense”, disse o jogador.

Souza admite que não esperava um começo de temporada tão bom com a camisa tricolor. Ele afirma que deve parte dos louros pelas boas atuações com seus companheiros. No entanto, o jogador se mostra exigente consigo mesmo e afirma ter planos mais ousados e uma meta a ser atingida.

“Eu passei por uma cirurgia delicada no ano passado, fiquei muito tempo parado e não esperava me adaptar tão rápido ao time do Fluminense. Mas quando você olha para o lado e vê jogadores como Fred, Deco, Conca, Mariano, Diguinho, fica muito fácil jogar. É muita gente de qualidade. Mas eu ainda não estou satisfeito. Eu quero voltar a ser o Souza de 2006 e 2007, do São Paulo, e de 2009, do Grêmio”, projeta o meia.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.