Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Felipe completa 340 jogos pelo Vasco contra o Libertad

Meia quer vitória de presente, uma vez que considera advesário da Libertadores inferior tecnicamente

Hilton Mattos, iG Rio de Janeiro |

O jogo desta quarta-feira, contra o Libertad, pela Taça Libertadores, será especial para Felipe . O meia, revelado pelo Vasco desde o futsal, aos 7 anos, fará sua partida de número 340 com a camisa cruzmaltina. Seu presente será a vitória sobre o time paraguaio. Já que, na opinião do jogador, o adversário é bem inferior tecnicamente.

Deixe seu recado e comente a notícia com outros torcedores

“Eles sabem que somos superiores. Na bola, somos melhores. A arma deles pode ser a catimba, mas para isso estaremos preparados também”, declarou Felipe.

Prass pede que Vasco esqueça derrota e pense apenas no Libertad

O jogo de ida contra o Libertad foi marcado por muita confusão, com direito a expulsões e reclamação de arbitragem. Mas, jogando em casa, a história, para o meia, será bem diferente. Em caso de vitória, será a 184ª do camisa 6 pelo Vasco. Nas outras 399 partidas, houve ainda 85 empates e 71 derrotas.

Gazeta Press
O meia Felipe será titular nesta quarta-feira contra o Libertad
Se marcar um gol, será o 30º pelo cube da Colina. Felipe costuma dizer que balançar a rede não é seu forte. Mas em 2011, jogando como meia - iniciou a carreira jogando na lateral esquerda -, marcou sete vezes em 48 partidas. Seu melhor aproveitamento, contudo, foi em 2002, quando atuou como de atacante. Na oportunidade, foram seis gols em 27 jogos.

Revelado em 1996, esta é sua terceira passagem pelo clube. Em São Januário, conquistou dois Brasileiros (97 e 2000), um Carioca (98), um Rio-São Paulo (99), uma Mercosul (2000), a Libertadores em 98 e a Copa do Brasil, no ano passado.

Aos 34 anos, não faz planos sobre a aposentadoria, mas sutilmente ensaia o adeus. Vez por outra, por exemplo, se chama de “velhinho”. Juninho Pernambucano, de 37, é o mais velho do elenco. No entanto, está atrás de Felipe em jogos disputados: 332.

Há duas semanas, o meia andou reclamando do técnico Cristóvão Borges, que o mantinha no banco de reservas quando ele julgava em condições de ser titular. Desde então, voltou a ter sua posição assegurada no time. Nesta quarta, diante do Libertad, prevê nova vitória, mesmo sabendo que o adversário usará da violência.

“Nossa preocupação é ganhar na bola. Se eles quiserem confusão, vai ter confusão. Mas só no fim da partida”.
 

Leia tudo sobre: vascofelipelibertadlibertadores 2012

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG