Tamanho do texto

Treinador do Palmeiras também afirma que tem totais condições de vencer Corinthians no Pacaembu

Felipão mantém a postura conciliadora para o clássico diante do Corinthians no próximo domingo. O treinador do Palmeiras não cansa de afirmar que o dérbi no Pacaembu será mais um como qualquer outro jogo e também comemora bastante a mudança de ambiente desde que Kleber deixou o time.

“Não vamos decidir título nenhum. Vamos jogar para nós, porque não tivemos qualidade de chegar à frente. Temos que agradecer os 20 mil que estiveram aqui mesmo sem disputar um objetivo maior. Nos últimos quatro jogos, a equipe sempre esteve bem colocada. Muitas coisas mudaram a partir de determinadas situações. Os jogadores ficaram mais tranquilos e puderam se expressar tranquilamente”, disse o treinador de forma misteriosa, para depois confirmar que a saída do camisa 30 para o Grêmio revolucionou a Academia de Futebol.

Siga o Twitter do iG Palmeiras e receba as notícias do seu time em tempo real

“Me arrependo de não ter tomado uma decisão na hora que a suposta proposta do Flamengo começou. Há 212 anos. Me arrependo desde aquela oportunidade. Se tivéssemos feito aquilo que foi exigido, quem sabe não teríamos este problema que nos atrapalhou bastante”, lamentou o treinador.

Com um ambiente mais tranquilo, o Palmeiras joga diante do Corinthians no Pacaembu, às 17h. Os ingressos estão todos vendidos, e os palmeirenses terão apenas cerca de 2,5 mil ingressos. Mesmo com todo clima de decisão, Felipão segue no discurso de agir naturalmente.

“Vamos jogar mais um jogo de final de campeonato em que nós temos a responsabilidade de jogar pela vitória como se fosse qualquer outra equipe. Se fosse Avaí, Figueirense ou qualquer outra nós jogaríamos. Temos totais condições de vencer”, finalizou o treinador.

Nesta segunda-feira, os jogadores do Palmeiras recebem folga. Na terça-feira, eles voltam à Academia de Futebol para começar a semana decisiva diante do Corinthians. Felipão não terá desfalques e ainda poderá contar com as voltas de Maikon Leite, Maurício Ramos e Thiago Heleno.