Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Felipão vê Palmeiras 50% pronto e destaca poder motivador

Técnico consegue transformar situações adversas em força para o Palmeiras e usa guerra contra imprensa como exemplo

Danilo Lavieri, iG São Paulo |

_CSEMBEDTYPE_=inclusion&_PAGENAME_=esporte%2FMiGComponente_C%2FConteudoRelacionadoFoto&_cid_=1237861731482&_c_=MiGComponente_C

Luiz Felipe Scolari aponta para um Palmeiras 50% pronto. Em entrevista ao site da Fifa, o pentacampeão mundial afirmou que sua equipe tem melhorado bastante no último mês e meio e que alguns jogadores devem deixar a equipe em igualdade para a competição em 2011.

"Nos meus primeiros oito ou dez jogos, fiz acomodações e tentei impor minha forma de trabalhar. Acho que a equipe melhorou mesmo foi no último mês e meio. Agora, ela está 50% mais organizada. Ganhamos quase sempre por pouco e, se perdemos, também é por muito pouco. Falta apenas uma ou outra peça, uma ou outra situação de jogo para explorar, porque não tenho jogadores para fazer isso. No Palmeiras, nós não temos, por exemplo, um ponta veloz. Alguém que possamos lançar uma bola de 50 metros na corrida", afirmou o técnico.

Felipão elege o fator motivador como uma de suas principais características e diz que ele mesmo entra em campo motivado sempre como se fosse um treinador em início de carreira. 

"Gosto que os jogadores saibam e sintam que vou defendê-los como um pai. Mas também existe o lado que, mesmo com 30 anos de carreira, eu entro em campo como se ainda fosse um técnico de juniores, com a mesma motivação", afirmou Scolari, que lembrou do caso Ronaldo na Copa como exemplo. "Em 2002, nós da comissão técnica e médica assumimos uma posição com o Ronaldo. Ele foi liberado pelo Héctor Cúper, técnico da Internazionale, para trabalhar conosco um mês antes. O Cúper me disse: Felipe, pode levar o Ronaldo agora. Ele vai entrar em condições e vai te dar o titulo mundial, porque ele é bom demais. Mas havia um plano que determinava um limite de minutos para ele jogar em cada momento da Copa", completou.

Felipão também sabe usar as situações mais adversas como forma de motivação. Na última segunda-feira, ele afirmou que até mesmo a sua polêmica com a imprensa serviu para deixar os jogadores ainda mais unidos buscando a vitória. Na ocasião, jornalistas vestiram o nariz de palhaço para mostrar insatisfação pelo técnico ter chamado um repórter de palhaço.

"Não quero que vocês me entendam mal. Mas serviu para afetar o grupo positivamente. O que eu vi no vestiário foi um time ainda mais motivado", disse ele, que também falou sobre ter uma cartada na manga contra os jornalistas. "Combinei com a Aceesp (Associação dos Cronistas Esportivos do Estado de São Paulo) de não mostrar uma determinada situação que tenho em mãos. Mas se um dia eu precisar, eu vou saber muito bem usar", afirmou.

Felipão fala de gravações que tem de um jornalista de um grande grupo fazendo ameaças contra eles e contra o Palmeiras. A Aceesp já tem essa gravação e deve tomar providências em breve para que a situação seja resolvida. Pelo menos a princípio, técnico e clube não se manifestarão sobre o problema.

Leia tudo sobre: campeonato brasileirofutebolpalmeiras

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG