Tamanho do texto

Técnico irá ao casamento do filho e não comandará o time na rodada do final de semana contra o Fluminense

O técnico do Palmeiras , Luiz Felipe Scolari, não irá comandar o time no próximo domingo contra o Fluminense, em São Paulo. Ele viajará para Portugal nesta sexta-feira para participar da festa de casamento do seu filho. A assessoria do técnico confirmou ao iG a informação e disse que o técnico formalizou o pedido em uma carta entegue à diretoria do Palmeiras.

VEJA TAMBÉM: Felipão e Kleber brigam, e Palmeiras teme até rebaixamento

Felipão embarca para Portugal na sexta-feira e tem retorno previsto para a segunda. Flávio Murtosa, auxiliar de Scolari, deverá comandar o time no domingo.

Murtosa vai comandar a equipe na ausência de Felipão no Palmeiras. Técnico vai para Portugal
Gazeta Press
Murtosa vai comandar a equipe na ausência de Felipão no Palmeiras. Técnico vai para Portugal
O técnico do Palmeiras esteve envolvido numa polêmica na última terça-feira, quando discutiu com Kleber durante reunião com os jogadores do time . O encontro aconteceu após o volante João Vitor ser agredido por torcedores palmeirenses .

Kleber foi afastado e não enfrenta o Flamengo nesta quarta-feira. O Palmeiras informou que se pronunciará sobre o caso somente após o jogo.

Felipão x Kleber
Durante uma reunião dos jogadores com a comissão técnica do Palmeiras, nesta terça-feira, Kleber criticou o técnico. “Não é possível que tudo aqui sobre para os jogadores. Sempre a culpa é nossa. A torcida te ama e odeia a gente", disse o jogador,segundo apurou o iG .

LEIA TAMBÉM: Dirigente nega que Kleber tenha sido afastado

Felipão devolveu a acusação e disse que Kleber é "amiguinho" da uniformizada. Depois, ouviu nova resposta do atleta. "Você que fica trazendo esses caras aqui para dentro", disse o atacante, referindo-se às duas vezes que o membro da organizada apelidado de Lagartixa foi levado ao CT pelo treinador.

Após a confusão, Felipão ficou revoltado com a atitude do grupo, que entrou na briga ao lado de Kleber e resolveu não viajar ao Rio de Janeiro na noite de terça-feira. Por isso, o treinador consultou o departamento jurídico para saber se poderia escalar o time B no Rio de Janeiro. Ouviu que poderia, mas foi acalmado pelo seu staff. Os atletas do time A chegaram a ameaçar não entrar em campo, mas a regra do Brasileirão prevê a perda de seis pontos nesse caso.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.