Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Felipão pede, e Palmeiras desiste de protesto formal contra o Goiás

Treinador afirmou que agressão é um assunto que deve ficar no passado e clube não formalizará reclamações

Danilo Lavieri, iG São Paulo |

_CSEMBEDTYPE_=inclusion&_PAGENAME_=esporte%2FMiGComponente_C%2FConteudoRelacionadoFoto&_cid_=1237860509964&_c_=MiGComponente_C

O Palmeiras desitiu de entrar com processo jurídico contra o torcedor que arremessou um objeto na cabeça de Luiz Felipe Scolari. A pedido do próprio treinador, o clube não acionará mais o seu departamento jurídico contra o Goiás.

"Nós tínhamos acertado de fazer esse procedimento. Mas no caminho entre o aeroporto e o CT, ainda dentro do ônibus, o Felipão me chamou e pediu para desistir da ideia em consideração a alguns dirigentes que ele têm carinho por lá. Ele não queria causar confusão por causa de um cara que fez besteira. Ele achou melhor abrir mão. E como ele que foi atingido, nós concordamos com isso", afirmou o gerente administrativo do clube, Sérgio do Prado.

Em nota oficial divulgada pelo clube, Felipão afirmou que o assunto deve ser esquecido e que a força agora deverá ser concentrada na busca por uma vaga na final e pelo título da Sul-Americana.

"Esse é um assunto que não temos de levar adiante. É uma situação que envolveu um torcedor que não gostou do que aconteceu no jogo, não gostou da derrota. Eu acabei atingido, mas entendi perfeitamente quando um clube perde, os ânimos ficam acirrados mesmo. Não quero mais debater esse assunto e não vamos fazer nenhum tipo de protesto formal", comentou o treinador, que também comentou a briga com o diretor de futebol do Goiás, Marcelo Segurado.

"Houve um entrevero com uma pessoa do Goiás nos vestiários, mas está tudo resolvido, entendi que ele quis defender o clube dele. Só não entendi a forma como ele agiu, pois quis ele tentar justificar algo que era injustificável. Também não quero levar nada adiante porque sou muito amigo do pessoal do Goiás, do presidente do Goiás, eu tenho uma relação muito boa com Goiânia. Pode ter certeza que o Goiás será recebido com carinho e respeito no Pacaembu. O assunto está encerrado", finalizou.

Ainda no aeroporto de Congonhas, Sérgio do Prado disse que já havia identificado o agressor de Felipão e que providências seriam tomadas. Eles enviariam imagens do celular sendo atirado para a CBF e para a Conmebol pedindo a punição do Goiás. Sérgio ainda ressaltou que o clube goiano havia abafado o caso dizendo que prendeu o torcedor agressor, quando, na verdade, não havia feito nada.

Leia tudo sobre: copa sul-americanafutebolgoiáspalmeiras

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG