Tamanho do texto

Treinador do Palmeiras lembrou que a fórmula de disputa foi aceita pelos dirigentes das equipes

selo

O Palmeiras entrou em campo em Campinas neste domingo, contra a Ponte Preta, como líder do Paulistão. Mas encerrou a primeira fase na segunda colocação. A 'vantagem' conquistada pelo São Paulo foi fazer um clássico nas quartas de final, contra a Portuguesa, enquanto o Palmeiras pega o Mirassol. 

Se no São Paulo o regulamento foi alvo de críticas - Rogério Ceni o chamou de "esdrúxulo -, no Palmeiras Felipão lembrou que a fórmula de disputa foi aceita pelos dirigentes das equipes. "Para um próximo campeonato, os presidentes dos clubes que se reúnam com o presidente da Federação (Paulista) e façam um campeonato diferente. Como (o regulamento) foi aceito por todos, que calem a boca e joguem." 

A vantagem perdida foi tão insignificante para o Palmeiras que Kléber até fez pouco caso da derrota deste domingo: "Para a gente não faz diferença nenhuma. Este jogo era mais um teste para os jogadores que não vinham sendo utilizados. O campeonato começa agora e temos que batalhar", comentou o atacante. 

Se eliminar o Mirassol, o Palmeiras pode ter o Corinthians na semifinal. Para Luan, deve-se pensar em um jogo por vez. "Vamos procurar vencer o Mirassol e depois pensar nos próximos confrontos. O jogo será difícil e temos que dar a nossa vida para vencer", afirmou. 

Camisa 9 no banco
Após o jogo em Campinas, Felipão afirmou que Valdivia volta ao time na quinta-feira, contra o Santo André, pela Copa do Brasil. Wellington Paulista, contratado para ser o centroavante que o treinador tanto pediu, segue no banco. "A gente ainda vai ver nos treinamentos se dá pra usar dois atacantes. Por enquanto, essa formação não cabe no nosso estilo", explicou Scolari