Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Felipão ignora torcida organizada e descarta “fugir” da capital

Treinador elogiou os torcedores no Canindé, e acredita que jogar no interior de São Paulo não ajudará

Samir Carvalho, iG Esporte |

null

O técnico Luiz Felipe Scolari não conseguiu explicar os motivos da derrota do Palmeiras diante do Figueirense por 2 a 1 neste sábado, no Canindé, pela 31ª rodada do Campeonato Brasileiro. Além disso, o treinador ignorou o protesto da torcida organizada no final da partida, e descartou mandar os próximos jogos no interior de São Paulo para fugir das vaias.

Veja também: Marcos admite que Série B já assombra o Palmeiras

O treinador utilizou o meia Valdívia como exemplo para explicar que o protesto aconteceu apenas entre os torcedores uniformizados.

“O bom de tudo isso é que 80% do estádio perceberam que o Valdívia estava fazendo um bom jogo, criando a alternativa correta para o Palmeiras. Para mim, eu valorizo o que 80% fez, e não aqueles 20% que não deu apoio”, afirmou Felipão.

“Nós não estamos jogando bem. Tanto faz jogar em Barueri, em Itu. Não é o Canindé, até ontem nós não perdíamos. Por mim não (mandar o restante dos jogos no interior de São Paulo). Se existir proposta interessante para a diretoria, com valores, pode jogar lá, mas por mim não”, disse.

Figueirense sonha com G5, e Palmeiras teme degola. Veja a classificação

O treinador demonstrou abatimento com a situação do Palmeiras, mas declarou que já passou por momentos piores na carreira.

“Eu termino o jogo aqui, vou para casa, fico triste hoje, amanhã, volto na segunda-feira para tentar melhorar. É um momento ruim, mas já tive dificuldades maiores no início da carreira e fora do país”, concluiu.

Com a derrota, o Palmeiras está na 13ª colocação, com 41 pontos ganhos. O time ficou mais distante da zona de classificação da Libertadores.


 

Leia tudo sobre: palmeirasfelipãovalvídiabrasileirão 2011canindé

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG