Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Felipão diz que nenhum dos times queria o início do clássico

Chuva atrasou começo de Palmeiras x São Paulo em 65 minutos por causa do gramado sem nenhuma condição

Danilo Lavieri, iG São Paulo |

O juiz Marcelo Aparecido Ribeiro de Souza iniciou a partida entre Palmeiras e São Paulo sem o consentimento dos times. Pelo menos foi o que afirmou Luiz Felipe Scolari na coletiva de imprensa logo após o fim do clássico.

O treinador disse que tanto ele quanto o treinador do seu rival, Paulo César Carpegiani, e os capitães das equipes, Kleber e Rogério Ceni, eram contra o apito inicial, que aconteceu com 65 minutos de atraso por causa da forte chuva que deixou o gramado do Morumbi por um bom tempo sem condições de jogo.

“Não concordei com o início. Nem eu, nem o Carpegiani. Nós já tínhamos conversado. As ordens foram dele esperar por 30 minutos e depois mais 30. E acho que se não tivesse condição, ele ia esperar mais 30. O jogo tinha que acontecer por alguma razão. Não me perguntem qual, pois não vou entrar em confusão. Não tinha nenhuma condição e era para ele ter encerrado”, disse o treinador.

Inicialmente, a Federação Paulista de Futebol chegou a cogitar o adiamento do jogo para a segunda-feira, às 15h. O problema é que o Palmeiras tem jogo na quarta-feira contra o Comercial-PI pela Copa do Brasil e as 72 horas de descanso necessárias para os jogadores não seriam respeitadas.

“Se ia ter data ou não era problema para a Federação, não era o juiz que ia resolver isso. Se acontece um desastre qualquer, todo mundo ia cobrar o juiz. Achamos que ia ser melhor passar para frente o jogo. Daqui 30 dias, os dois times não iam ter jogo na quarta e iam poder remarcar. Mas acharam interessante o jogo acontecer por alguma ordem superior”, finalizou o treinador.

Leia tudo sobre: palmeirassão paulocampeonato paulista 2011

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG