Técnico fez mistério sobre qual é exatamente o problema na negociação para manter o atacante no Palmeiras

O técnico Luiz Felipe Scolari está contrariado no Palmeiras . Nesta sexta-feira, ele alega que iniciou o treino do elenco profissional, por volta das 14 horas, com a notícia de que a permanência de Luan estava praticamente definida, com o acerto dos valores. Mas, ao fim da atividade, houve uma ligação que trouxe uma nova versão ao comandante, ainda dentro do gramado da Academia de Futebol.

"Mudou que um mais um sempre foi dois, mas agora não é mais dois", esbravejou o treinador, que fez questão de falar sobre o culpado do negócio. "O problema é da parte do Palmeiras", emendou.

No entanto, Felipão avisa que irá revelar o verdadeiro problema do caso de Luan somente se a negociação fracassar definitivamente. "Se realmente não acontecer, eu vou explicar tudo o que aconteceu", ameaçou.

O final feliz da história estava próximo com a compra de 50% dos direitos de Luan, através da ajuda de investidores. O Palmeiras efetuaria o pagamento de 1,5 milhão (cerca de R$ 3,3 milhões) na transação junto ao Toulouse-FRA.

"A questão é que precisa pagar 30 para um, 10 para outro. Esses são os problemas do Palmeiras, as divisões, há uma confusão do inferno. O jogador pode sair mesmo depois de tudo estar certo", reforçou o responsável pelo pentacampeonato mundial da seleção brasileira em 2002.

Ainda assim, a diretoria do Palmeiras vai insistir em novas conversas com o Toulouse nas próximas horas. O contrato de empréstimo de Luan é válido até domingo. Mesmo com a indefinição, o atacante foi relacionado normalmente para o compromisso deste sábado contra o Atlético-MG, no estádio do Canindé.

Defensor de Luan em seu esquema tático, Felipão avisa que o próprio jogador está disposto a abrir mão de alguns valores para continuar no Palestra Itália. "Com o atleta não há problema, é um bom menino, quer ficar, estava fazendo um contrato diferente dentro das pretensões que queria", encerrou Scolari.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.