Treinador não concorda com diretoria sobre pagamento extra em caso de vitória no clássico

A diretoria do Palmeiras prometeu aumentar o prêmio financeiro ao time em caso de vitórias contra São Paulo e Corinthians . No entanto, o técnico Luiz Felipe Scolari avisa que o bicho não é a maior motivação de sua equipe e considera o valor bem abaixo dos rivais.

"O Palmeiras não paga bicho extra e não chega nem aos pés do que é pago pelo São Paulo. Nosso bicho era 75% menor do que qualquer outro time e nenhum jogador falou alguma coisa. Estão jogando pelo profissionalismo, eles nem sabem que vão jogar com o São Paulo", comentou.

Siga o Twitter do iG Palmeiras e receba as notícias do seu time em tempo real

O vice-presidente de futebol do clube, Roberto Frizzo, afirmou que o bicho oferecido nos clássicos será do tamanho "de um dinossauro, e não de um coala". A expectativa da diretoria é de que o Palmeiras atrapalhe o São Paulo na busca pela vaga na Copa Libertadores e incomode também o Corinthians na briga pelo título.

No entanto, Felipão quer evitar uma pressão exagerada sobre seus jogadores e avisa que a busca pelo resultado positivo acontecerá da mesma forma que em outros jogos.

"Jogaremos dois jogos que valem os três pontos. Se vai atrapalhar o vizinho e o outro que não é vizinho, eu não sei. Jogamos sempre com o objetivo da vitória, às vezes conseguimos e outras não. Nosso único intuito é jogar pelos três pontos, porque a Sul-americana está praticamente conseguida", acrescentou.

O treinador explicou que não vê motivos para criar polêmica pública com os rivais, mas deixou transparecer que o discurso será diferente na conversa com os jogadores.

"Eu trabalho no vestiário, não vou armar confusão e guerra com o São Paulo. Qual a finalidade? Eu vi em outros locais que o campeão é reverenciado. Se no Brasil não podemos reverenciar, independentemente de quem seja campeão, estamos no caminho inverso no futebol", encerrou.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.