Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Felipão deixa briga de diretoria e eleições de lado no Palmeiras

Treinador tenta se concentrar apenas na estreia do Paulistão neste sábado contra o Botafogo de Ribeirão

Danilo Lavieri, iG São Paulo |

Luiz Felipe Scolari tenta não se envolver na política e nos problemas envolvendo a diretoria do Palmeiras. À beira das eleições que acontecem na próxima quarta-feira, o treinador recusou a se comentar sobre uma possível preferência entre os candidatos e também na briga recente entre Wlademir Pescarmona e o zagueiro Danilo.

O treinador, que no início da semana pediu união entre os dirigentes, foi breve ao ser questionado qual o seu papel na discussão que veio a público entre jogador e diretor de futebol.

“Não vou administrar a situação entre o Pedro e o Paulo. Se chegar na minha área, eu trabalho”, disse Felipão.

Sobre a política, o técnico foi mais uma vez neutro. Ele disse que o importante é que ele se coloca à disposição seja lá quem for o vencedor.

“Isso é uma disputa entre os candidatos. Eu não tenho um preferido. Eles, como dirigentes e futuros mandatários, que podem ter alguma escolha. Pode ser o Luiz Felipe o técnico ou pode não ser. A casa é nossa”, disse o treinador, que completou.

“Quando um ou outro vem aqui conversar comigo, é por uma ou outra razão que envolve o Palmeiras. Depois de ser visitado pelo Nobre e Palaia, eu tive contato telefônico com o Tirone, para que ele não tenha dúvidas do meu estilo de trabalho. Eu não convido ninguém pessoalmente”, finalizou.

Na quarta-feira, Arnaldo Tirone ostenta o cargo de favorito e terá o apoio em massa da oposição palmeirense. A situação se dividirá entre Paulo Nobre, que receberá mais votos que seu concorrente, o atual 1º vice-presidente, Salvador Hugo Palaia.

Leia tudo sobre: palmeirasfelipão

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG