Tamanho do texto

Treinador do Palmeiras diz, em comunicado oficial, que está tudo resolvido com amigo desde 1975

Luiz Felipe Scolari confirmou que conversou com Paulo César Carpegiani e que está tudo acertado entre eles. Via nota oficial, o treinador do Palmeiras afirmou que a amizade entre os dois que existe desde 1975 está mantida e ainda aproveitou a ocasião para fazer uma crítica a um dirigente misterioso.

A polêmica começou na noite da última quarta-feira, quando o jornal o "Estado de São Paulo" divulgou que o vice-presidente de futebol do Palmeiras, Roberto Frizzo, estava acertado com o ex-treinador do São Paulo.

Siga o Twitter do iG Palmeiras e receba as notícias do seu time em tempo real

"O técnico Luiz Felipe Scolari comunica que conversou nesta tarde com Paulo César Carpegiani. Tudo ficou esclarecido entre ambos e reafirmaram a amizade que existe desde 1975. Para Scolari, ficou claro que este episódio destacado pela imprensa, nesta quinta feira, é mais uma ação de uma determinada pessoa da direção do Palmeiras que visa sua saída. Para Scolari não será surpresa se novos nomes, inclusive de outros amigos, surgirem nos próximos dias como seu provável substituto" informou a assessoria de imprensa do palmeirense.

Felipão diz que tem certeza que outros
AE
Felipão diz que tem certeza que outros "substitutos" surgirão


Frizzo rebateu a informação de maneira quase que instantânea e afirmou que a informação surgiu por causa de pessoas que ele chama de ratazanas que querem prejudicar o ambiente do clube.

"Tratam-se de cinco ou seis ratazanas do esgoto, que insistem em querer tumultuar o ambiente do Palmeiras. O Felipão é o nosso técnico, continuará sendo e tem a total confiança da presidência e da diretoria de futebol do Palmeiras", declarou o vice-presidente via nota no site oficial do clube.

Coloque seu time em 1º lugar no ranking da Torcida Virtual do iG Esporte

O processo de fritura a que Frizzo se refere já acontece praticamente desde o momento em que Arnaldo Tirone assumiu o cargo de presidente. O homem forte do futebol começou a colecionar inimigos, especialmente por resistir a algumas ideias que aliados do ex-presidente Mustafá Contursi tomavam como extremamente necessárias para o bem da estrutura do clube, como a saída de Sérgio do Prado e o corte de gastos com outros jogadores, por exemplo.

Ele também passou a ser tratado como um homem que toma as decisões sem ouvir os companheiros e passou a servir como outro artifício para que Tirone fosse criticado. Recentemente, Mustafá Contursi afirmou que estava rompendo com a atual gestão por não concordar com as atitudes tomadas pelos principais nomes que estão no poder. Nos bastidores, no entanto, ele continua articulando e tentando impor seus princípios no clube, especialmente os econômicos.