Tamanho do texto

Diretor são-paulino conversa com Oeste, "dono" do jogador. "Tem anjinho com chifre e rabo", diz técnico

O interesse do São Paulo no lateral-direito Cicinho irritou Luiz Felipe Scolari a ponto de o treinador do Palmeiras chamar de “cafajestagem” a diretoria são-paulina ter conversado com dirigentes do Oeste, clube do interior que detém os direitos do jogador.

“Não deveria e nem deve ser eu (a falar) sobre esse tipo de cafajestagem. Eu já disse muitas vezes que ele (o presidente palmeirense Arnaldo Tirone) está enganado com alguns bonzinhos. Ele precisa escolher bem os amigos e saber quem são os corretos. Tem muito anjinho com chifre e rabo. Não sou eu”, disse Felipão.

O São Paulo empatou com o Oeste no final de semana, 1 a 1 em Mogi Mirim, e após a partida o diretor de futebol Carlos Augusto Barros e Silva, o Leco, elogiou Cicinho e conversou com dirigentes da equipe do interior, que detém o vínculo do jogador. O jogador está emprestado ao Palmeiras até 2012, que tem preferência para contratá-lo por R$ 2 milhões.

Felipão costuma esconder as negociações em entrevistas. Até mesmo quando já estava fechado com Wellington Paulista, o treinador perguntou quem era que estava "inventando aquelas mentiras". Sobre o interesse pelos zagueiros Gustavo Bastos e Henrique, o treinador também refuta a chance de contratá-los. "Se eu falar que sim, 200 clubes chegam aqui e tentam pagar mais para levar".

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.