Evra foi apontado como líder da decisão dos jogadores de não realizaram um treinamento na Copa do Mundo

O ex-capitão da seleção francesa Patrice Evra está entre os jogadores que ainda não oficializaram a desistência da premiação pela participação na Copa do Mundo da África do Sul, de acordo com revelação feita pelo presidente da Federação Francesa de Futebol (FFF) neste domingo.

Fernand Duchaussoy disse neste domingo que o lateral-esquerdo do Manchester United, os zagueiros William Gallas, do Tottenham, e Marc Planus, do Bordeaux, os atacantes Nicolas Anelka, do Chelsea, e Andre-Pierre Gignac, do Bordeaux, ainda não desistiram formalmente dos pagamentos pelos direitos de imagem.

"É puramente um problema administrativo", afirmou Duchaussoy, em entrevista ao programa Telefoot da televisão francesa. "Você sabe, ele foi o primeiro a dizer que ia desistir de seus bônus. Nós não podemos pensar por um momento que ele não vai".

Os outros jogadores assinaram um documento em que renunciavam formalmente ao dinheiro que deveriam receber da FFF pelos direitos de imagem, estimados em cerca de 110 mil euros.

Duchaussoy disse que o dinheiro será dividido entre o clube formador de cada jogador e uma doação para o futebol amador. Evra foi suspenso por cinco jogos após a Copa do Mundo por seu papel como líder na decisão dos jogadores de não realizaram um treinamento.

O ato foi um protesto após a dispensa de Anelka, que insultou o técnico Raymond Domenech. O atacante foi proibido pela federação francesa de atuar pela seleção por 18 jogos.

Evra ficou fora da convocação do técnico Laurent Blanc para o amistoso de quarta-feira o amistoso contra o Brasil, apesar de sua punição ter se encerrado. Blanc disse que não o chamou por considerar que Eric Abidal, do Barcelona, e Gael Clichy, do Arsenal, estão em melhor momento.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.