Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Falta de pontaria e nervosismo marcam eliminação do Cruzeiro

Dupla de ataque reserva não funcionou e time levou seu primeiro cartão vermelho na temporada

Frederico Machado, iG Belo Horizonte |

Na derrota por 2 a 0 para o Once Caldas, em plena Arena do Jacaré, o Cruzeiro atuou com uma dupla de ataque reserva. Com as contusões de Wallyson, Thiago Ribeiro e Brandão, Ortigoza e Farías começaram a partida. Os dois “gringos” nunca tinham atuado juntos e a falta de entrosamento ficou nítida. Além disso, o nervosismo do time foi traduzido nos cartões.

Tenha as estatísticas no seu iPhone e faça comparações entre times e jogadores

Segundo os números do Footstats, o time cruzeirense sentiu falta de seus atacantes titulares. O Cruzeiro acertou apenas 21% das finalizações no gol adversário no último jogo, quando a média do time na Libertadores era de 45%. Foram apenas três chutes com a direção correta, contra 11 de pontaria errada. Essa foi a primeira vez que o time azul passou em branco jogando na Arena do Jacaré nessa Libertadores (a média era de cinco gols marcados a cada jogo em Sete Lagoas).

Cuca lamentou a ausência de seus titulares na frente em um jogo decisivo.”Perdemos três jogadores de frente que fazem muita falta. Por mais que tenha grupo forte, não é a mesma qualidade”, disse o treinador cruzeirense.

Na tragédia diante do Once Caldas, outro número chama a atenção. O time mineiro levou seu primeiro cartão vermelho na temporada, com Roger. Além da expulsão, foram quatro amarelos, contra uma média de 2,38 na campanha da Libertadores. “Até hoje não tínhamos perdido ninguém expulso. Roger não é de dar carrinho”, estranhou o técnico do Cruzeiro.
 

Leia tudo sobre: CruzeiroCopa Libertadores 2011

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG