Tamanho do texto

Guiñazu, suspenso, dará lugar a Tinga no primeiro jogo da final do Gauchão

O discurso não é de fazer terra arrasada no Inter . A intenção é manter o que vem sendo feito, corrigindo problemas, buscando a evolução do teime. Mudanças drásticas não ocorreram apesar da eliminação para o Peñarol, na Libertadores. Algumas modificações irão ocorrer para o Gre-Nal de domingo, primeiro jogo da final do Campeonato Gaúcho, mas elas são mantidas em sigilo.

O discurso adotado por Falcão após o fracasso segue embasando o dia-a-dia no clube. Ele acredita que toda a estrutura montada nas suas três primeiras semanas de trabalho não pode ser jogada fora. O treinador defende que um apagão de cinco minutos causou a eliminação e não atuação colorada como um todo.

"Não vou mexer muito, não. Talvez mexa um pouco no esquema de jogo. Não devo mudar um processo. Não posso mudar uma estrutura e dizer que está tudo errado por causa de cinco minutos de apagão. Eu seria inconsequente. Temos que olhar o todo. A tendência é manter a estrutura de time", explicou.

A escalação terá, ao menos, uma modificação. Expulso na decisão do segundo turno, Guiñazu cumprirá suspensão. Na sua vaga ingressa Tinga. De resto, a formação deve ser a mesma que perdeu para o Peñarol com: Renan; Nei, Bolívar, Rodrigo e Kleber; Bolatti, Tinga, Oscar e Andrezinho; D'Alessandro e Leandro Damião.