Treinador poderá alterar o sistema defensivo para o próximo clássico Gre-Nal. Rafael Sobis está fora

Vipcomm
Treinador diz que o importante é que os outros jogadores se aproximem do atacante
Falcão minimizou a importância da definição do esquema tático do Inter e acredita que o mais importante é a produção ofensiva dos jogadores. O treinador está recebendo as mesmas críticas que eram de Celso Roth, quando optava por uma formação com apenas Leandro Damião no setor ofensivo.

“Sobis foi segundo atacante no Gre-Nal. Os gols que perdemos do Kleber, do Andrezinho. Isso demonstra que não precisa ter três na frente. Tem que chegar gente. O André fez o gol, Kleber chegou, e é isso que me interessa. Se tem gente chegando. Nem sempre se tem jogador com essa característica. Sobis começou o Gre-Nal como segundo atacante. Era o 4-2-3-1, mas o Sobis tinha liberdade para encostar no Damião”, disse.

Falcão adotou o 4-4-2 nos seus três primeiros jogos e consegui três vitórias. Nas últimas quatro partidas optou por recuar o segundo atacante para uma linha de três jogadores no meio-campo, usando exatamente a mesma estratégia que contribuiu para a queda de Celso Roth. O time completou quatro jogos sem vitória.

“Não gosto de ser definitivo: ‘por ter só um atacante não vai chegar, um time com três zagueiros é defensivo”. Não dá pra achar que é só uma coisa”, completou.

As recentes derrotas para Grêmio e Peñarol podem provocar mudanças no time do Inter. A provável escalação para o Gre-Nal de domingo ainda é um mistério. A defesa pode sofrer alterações por opção técnica. Os volantes Guiñazu e Bolatti ainda serão julgados e podem virar desfalque. Oscar é o substituto mais provável para Rafael Sobis, que está machucado e fora do clássico.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.