Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Falcão começou a trabalhar no Inter antes da apresentação oficial

Novo treinador conta a preparação para voltar à função e revela qual outro time gostaria de treinar

Gabriel Cardoso, iG Porto Alegre |

Alexandre Lops/AI Internacional
Falcão conversa com os dirigentes Sílvio Silveira (sentado) e Newton Drummond, antes da apresentação oficial
Foram mais de 16 anos sem treinar um time de futebol. Por opção, Falcão passou boa parte desse período na imprensa, mas de uns tempos pra cá havia manifestado o desejo de voltar a trabalhar na beira do gramado. Cada vez que caía um técnico do Inter, seu nome era lembrado, mas o convite não vinha. Ele chegou na sexta-feira, dia 8 de abril. Falcão recebeu a primeira sondagem dos dirigentes do Inter, encaminhou o “sim” e terminou com uma longa espera. A vontade era tanta, que começou a trabalhar antes mesmo de ser apresentado oficialmente.

“Cheguei no Beira-Rio e fui procurar o Falcão, me disseram que estava reunido. Me surpreendi. Para minha surpresa, ele já estava em reunião com todos os profissionais e a comissão técnica. Ele fez uma reunião antes mesmo da apresentação. Falou com médicos, fisioterapeutas, e isso será praxe. O planejamento é importante”, contou o presidente Giovanni Luigi.

Falcão foi treinador do Inter em 1993. Não obteve sucesso, foram apenas seis meses de trabalho e uma campanha discreta no Brasileirão. Agora, mais preparado, mostra muita confiança no triunfo.

“Me preparei para isso, estou segurando a emoção. Tenho a convicção que as coisas vão acontecer, pois confio na dedicação deles (jogadores). Temos que buscar resultado e ser feliz. Venho me preparando há algum tempo. Isso se acelerou a partir da Copa do Mundo (2010), quando conversei com a TV Globo e eles entenderam que eu queria ficar no Brasil para acompanhar mais jogos. Existia um convite do Atlético-PR no mês de janeiro. Eu gostaria de começar em dois times. Este (o Inter), mas sempre achei que seria muito difícil, e o Atlético-PR, que é um time organizado e com possibilidades. Mas é evidente que o Internacional é diferente. Um gol do Internacional ou um título tem outro peso. Me preparei e acho que esse é o momento”, disse.

Alexandre Lops/AI Internacional
Falcão pegou uma bandeira e agradeceu a recepção da torcida
Falcão vai estrear no sábado. O Inter receberá o Santa Cruz, às 18h30, pelas quartas-de-final do Gauchão. O Maior desafio será dia 19, quando o time vai enfrentar o Emelec, no Beira-Rio, pela Copa Libertadores. Um empate assegura a classificação para a fase seguinte. Uma vitória coloca o time entre as melhores campanhas da primeira fase.

O novo treinador prometeu reformulações no time. Ressaltou que respeita o que vinha sendo feito por Celso Roth, mas que tem uma visão diferente de distribuir os jogadores. Pela falta de tempo, terá de adotar o “modelo Falcão de jogar” aos poucos.

“Sábado tem uma decisão e terça tem outra. Temos que trabalhar com o tempo que temos. Conto com o torcedor e espero que entendam que estamos iniciando um trabalho. Para montar meu time acho que precisaremos de um pouco de tempo”, projetou.

Leia tudo sobre: InternacionalPaulo Roberto Falcão

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG