Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Fábio completa três jogos sem sofrer gols na Libertadores

Goleiro igualou sua própria marca na edição de 2008 e pode ampliar o feito contra o mesmo Tolima, em Sete Lagoas

Frederico Machado, iG Belo Horizonte |

Vipcomm
Goleiro Fábio está a quase 300 minutos sem levar gols na Copa Libertadores
A fase do goleiro Fábio realmente é especial. Eleito o melhor goleiro do último Campeonato Brasileiro, o goleiro agora escreve seu nome também na história do Cruzeiro na Copa Libertadores. Depois de não sofrer gols contra o Tolima, no empate sem gols dessa quarta-feira, o camisa 1 igualou sua própria marca de ficar sem ser vazado em três jogos seguidos no torneio continental. Raul Plassmann também já havia chegado a essa marca na década de 70.

Nas três primeiras rodadas do Grupo 7, contra Estudiantes, da Argentina, Guaraní, do Paraguai, e Tolima, da Colômbia, Fábio não sofreu gols. Já são quase 300 minutos de invencibilidade no principal torneio da temporada. Fábio pode aumentar esse feito no próximo dia 16, quando o time mineiro enfrenta o Tolima novamente, em Sete Lagoas.

Em 2008, o goleiro já tinha alcançado tal feito ao passar invicto por Real Potosí, da Bolívia (3 a 0), San Lorenzo, da Argentina (0 a 0), e Caracas, da Venezuela (3 a 0). Em 1977, Raul Plassmann não sofreu gols nos dois jogos contra o Internacional (1 a 0 e 0 a 0) e na vitória sobre a Portuguesa, da Venezuela (4 a 0).

Penalidades
Fábio tem se tornado um especialista em agarrar cobranças de pênaltis. A penalidade defendida no chute de Medina, no segundo tempo do jogo contra o Deportes Tolima, foi a 11ª do goleiro desde que chegou ao Cruzeiro, em 2005.

Repercussão
A defesa de Fábio foi notícia nos veículos de comunicação da Colômbia. Segundo o portal Colombia.com, "Fábio deteve um pênalti e manteve sua meta imbatível na Copa Libertadores. Medina foi um dos jogadores mais incisivos da equipe ‘pijao’, mas não conseguiu romper a invencibilidade dos brasileiros". Já o El Mundo preferiu colocar a culpa em Medina, que desperdiçou a cobrança. "Medina desperdiçou a opção do triunfo diante do Cruzeiro".

 

Leia tudo sobre: CruzeiroCopa Libertadores 2011Fábio

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG