Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Extra-oficialmente, Juvenal confirma candidatura à reeleição

Em evento no Morumbi, chapa da situação define apoio ao terceiro mandato do atual presidente do São Paulo

iG São Paulo * |

Juvenal Juvêncio deu um importante passo na noite desta quinta-feira rumo a seu terceiro mandato na presidência do São Paulo. Em reunião no estádio do Morumbi do grupo Participação, do qual faz parte o atual mandatário, houve o consenso de que o dirigente é o melhor nome para concorrer novamente ao cargo.

O conselheiro e ex-presidente do clube Carlos Miguel Aidar fez uma explanação aos demais integrantes do grupo com relação ao aspecto jurídico para viabilizar mais um mandato de Juvenal Juvêncio. Com entusiasmo, o atual presidente falou em seguida aos demais participantes da reunião, agradecendo pelo convite.

A candidatura ainda não é oficial porque precisa ser protocolada no clube e também receberá ainda a concordância de outros grupos da situação, o que não deve ser problema. A reunião desta quinta, no Morumbi, foi encarada como "o grande lançamento da arrancada" por membros do Participação.

Os outros possíveis candidatos da chapa, Júlio Casares, diretor de marketing, e Carlos Augusto de Barros e Silva, o Leco, vice-presidente de futebol, concordaram e apoiaram a escolha. O grande assunto do encontro foi mesmo a questão jurídica, já que o novo estatuto do clube proíbe que um presidente fique por mais de dois mandatos seguidos no cargo.

Juvenal Juvêncio fez uma gestão sob as regras do estatuto antigo e, em seguida, foi eleito com o novo regulamento. Por isso, no entendimento de seus advogados, o primeiro mandato pode ser desconsiderado, já que o presidente estaria tentando sua primeira reeleição com o novo estatuto.

À tarde, no Centro de Treinamento do clube na Barra Funda, o ex-superintendente de futebol Marco Aurélio Cunha oficializou sua saída do São Paulo por avaliar que perdeu poder de influência no clube. E em sua entrevista de despedida, afirmou que, como amigo, não gostaria de ver Juvenal concorrendo à reeleição. Mas também disse que não entraria em uma eventual disputa pelo cargo contra o atual mandatário.

As eleições acontecerão em abril, e a oposição ainda não lançou candidato. Há a expectativa da situação de que Juvenal Juvêncio receba apoio até mesmo de alguns grupos opostos.

* com Gazeta Esportiva

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG