Tamanho do texto

Treinador acusou o vice-presidente da Federação Portuguesa de organizar operação para tirá-lo da equipe

A Federação Portuguesa de Futebol (FPF) decidiu, nesta sexta-feira, suspender por três meses o ex-técnico da seleção lusa, Carlos Queiroz, por este ter acusado o vice-presidente da entidade, Amandio de Carvalho, de organizar uma operação para tirá-lo da equipe.

Segundo a Federação, o Comitê Disciplinar considerou que as declarações de Queiroz ofendiam a honra e o nome de Carvalho. Além da suspensão temporária de seu trabalho como treinador, o ex-técnico da seleção também deverá pagar uma multa de 1,25 mil euros.

O caso diz respeito ao dia 14 de agosto deste ano, quando, em entrevista publicada ao jornal luso "Expresso", Queiroz apontou o dirigente como um dos organizadores de um plano para tirá-lo da equipe.

O Comitê Disciplinar descartou os argumentos apresentados pela defesa do acusado, que negam que as palavras de Queiroz representem uma acusação direta a Carvalho.