Treinador foi contra as acusações de Dorival em relação ao juiz, e disse que foi expulso pelo assistente

O técnico Luiz Felipe Scolari foi expulso no segundo tempo da vitória do Palmeiras diante do Atlético-MG por 3 a 2 neste sábado, no estádio do Canindé, pela 13ª rodada do Campeonato Brasileiro. Apesar da expulsão, o treinador poupou criticas a arbitragem após o jogo, e até defendeu o árbitro da partida, Sandro Meira Ricci, contra as acusações do técnico Dorival Júnior.

Felipão disse que foi expulso pelo assistente, confessou que foi por causa de uma reclamação, e ressaltou que o árbitro não interferiu no resultado.

Siga o Twitter do iG Palmeiras e receba as notícias do seu time

“Quem me expulsou foi o bandeira, meu amigo gaúcho. Perguntei a ele se aquilo que fizeram no Dinei não era falta, pois o cara quase arrancou a cabeça do Dinei, e ele disse que não. Retruquei que se isso não é falta, meu jogador tem que fazer dessa forma e atropelar o adversário”, disse Felipão, que criticou a postura de Dorival Júnior em reclamar do árbitro.

Entre para a Torcida Virtual e convide seus amigos

“Depende. Se for pelo segundo gol (reclamação), ele está errado. Ele foi coerente com tudo aquilo que vinha apitando. Eu não acho que ele influenciou. Pelo contrário, ele tinha que expulsar o Serginho. Eu não vejo diferença nenhuma, mas não dá para dizer que foi prejudicado, se ele (árbitro) atua assim”, disse Felipão.

Dorival reclamou de um empurrão do atacante do Palmeiras no zagueiro Lima, além de questionar a falta marcada que originou o gol de Luan, após a cobrança de falta de Marcos Assunção. Já Felipão reclamou de uma falta “violenta” em Dinei, e teve que assistir término do jogo pela janela do vestiário do Canindé.


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.