Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Ex-presidente do São Paulo defende reeleição de Juvenal

Dirigente foi eleito em 2006, para um mandato de dois anos, mas, em 2008, estatuto do clube foi modificado

Gazeta Esportiva |

Juvenal Juvêncio jamais falou sobre o assunto, mas especula-se que o presidente do São Paulo possa tentar nova reeleição nas próximas eleições do clube, previstas para abril de 2011. Carlos Miguel Aidar, que ocupou o cargo em dois mandatos entre 1984 e 1988, gosta da ideia e acredita que não há impedimentos legais para que o atual mandatário continue.

"Falo disso com tranquilidade, porque o autor da emenda que mudou o estatuto do clube e postergou o mandato do presidente de dois para três anos fui eu. Isso é uma questão de interpretação, mas se formos pegar ao pé da letra, ele tem direito a mais um mandato, se quiser se candidatar e vencer a eleição, mas isso depende da vontade dele e dos eleitores", disse o advogado, em entrevista à "Rádio Globo".

Juvenal Juvêncio foi eleito em 2006, para um mandato de dois anos. Em 2008, o estatuto do clube foi modificado e o mandato do presidente passou a valer por três anos. Juvêncio já foi reeleito uma vez, mas esta seria sua primeira tentativa com a nova carta em vigência.

"Não é continuismo, é continuidade política. O São Paulo alterna o poder e nunca teve na situação alguém que quisesse ficar eternamente. O que existe é uma coincidência momentânea, já que houve uma reforma estatutária e há o desejo de algumas pessoas, às quais eu me alinho, de que ele possa continuar", acrescentou Aidar, negando a possibilidade de 'golpe'.

O atual presidente do São Paulo foi apoiado por Aidar e eleito pela primeira em 1989, permanecendo até 1990. "O trabalho do Juvenal é impecável. Ele foi meu diretor de futebol, foi diretor de futebol do Marcelo (Portugal Gouvêa, de 2003 a 2006) e como presidente ganhou diversos títulos, apesar de ter tomado uma rasteira da CBF agora", disse, referindo-se à unificação dos títulos brasileiros conquistados antes de 1971.

Apesar de declarar apoio, Aidar fez questão de dizer que não sabe se Juvenal irá tentar a reeleição e disse que o clube tem pessoas preparadas para assumir a função. Entre os citados, estão o atual vice de futebol, Carlos Augusto de Barros e Silva, o Leco, e o superintendente Marco Aurélio Cunha, que já revelou o desejo de, um dia, assumir o cargo.

Leia tudo sobre: São PauloJuvenal JuvêncioFutebol

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG