Duda Kroeff não gostou de ter recebido críticas da atual direção

Ex-presidente do Grêmio, Duda Kroeff disse nesta segunda-feira que a baixa multa rescisória, determinante para a transferência de Jonas para o Valencia, da Espanha, foi uma exigência do próprio jogador. Por 1,2 milhões de euros (R$ 2,8 milhões), o atacante, artilheiro do Brasileirão 2010, acertou a sua saída do Olímpico.

"Jonas, seu irmão e seu representante até queriam que fosse menos. Disseram que iriam para a Grécia se não aceitássemos. Ficamos negociando por até quatro meses. Não tivemos escolha", disse o ex-dirigente em entrevista à Rádio Gaúcha.

Em março de 2010, ao tratar da prorrogação do contrato do jogador, Duda tinha a concorrência do AEK Athenas que fizera uma proposta pelo atacante. O dirigente se defendeu das críticas feitas por Antônio Vicente Martins, atual diretor de futebol.

"Tivemos o mesmo problema com o Réver, com valor de multa baixo feito pela gestão anterior, o Felipe Mattioni saiu de graça, mas eu não critico ninguém, o Grêmio é um só", respondeu Duda.

De acordo com o ex-presidente, o valor da multa não parecia baixo na época. Jonas não era artilheiro do Brasileirão, recuperava-se de lesão no tornozelo esquerdo e era constantemente criticado pela torcida.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.