Tamanho do texto

Treinador gostaria que as duas torcidas estivessem no estádio em seu primeiro clássico mineiro

O técnico Joel Santana é um dos mais rodados do Brasil e já disputou alguns dos clássicos mais importantes do país. Mas, no currículo do treinador ainda faltava um dos jogos de maior rivalidade: Atlético-MG x Cruzeiro . O treinador revelou que está na expectativa por conta do jogo de domingo, mas estranhou o fato da partida ser realizada com torcida única.

Siga o iG Cruzeiro no Twitter e receba todas as informações do seu time

Joel falou sobre a expectativa para seu primeiro clássico mineiro. "É uma semana diferente, é um jogo diferente, que tem história. Eu já disputei Ba-Vi, Internacional e Grêmio, Coritiba e Atlético-PR, Vasco e Flamengo, Flamengo e Fluminense, Corinthians e Palmeiras... E estava faltando aqui, mas chegou minha hora. Vai ser legal, com casa cheia, imprensa toda presente. Tomara que seja um bom jogo, que deixe o torcedor feliz. Essa é a nossa missão, é o nosso objetivo", disse o treinador cruzeirense.

Entre para a Torcida Virtual do Cruzeiro e convide seus amigos

O técnico não se lembra de ter disputado um clássico com torcida única no estádio e afirmou que gostaria de ver o duelo também nas arquibancadas. "Eu gostaria que as duas torcidas estivessem, com seus cantos e seu incentivos, presentes no estádio. Dividiria o estádio e colocaria as duas torcidas lá, mas não posso responder, porque não estava aqui quando houve essa decisão. Então, toda decisão eu respeito e, já que vai ter só a torcida do Atlético lá, vamos lá jogar", ponderou.

Sobre a motivação aos atletas na semana de preparação para o clássico, o treinador acredita que o jogo por si só já mexe com o brio dos jogadores. "O clássico já é uma motivação, não preciso motivar mais. O jogador já sabe da responsabilidade, do interesse do jogo, não só aqui em Minas Gerais, mas em todo o Brasil. O Brasil todo vai acompanhar todos os clássicos que estarão acontecendo, porque vai acabar o primeiro turno e vamos ter uma média de 50% daquilo o que podemos fazer, onde podemos chegar", concluiu Joel Santana.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.