Malinês Amadou Diakite foi punido por suspeita de envolvimento no caso de corrupção na escolha das sedes das Copas de 2018 e 2022

selo

Um dos ex-integrantes da Fifa envolvidos em suspeita de corrupção, o malinês Amadou Diakite recorreu nesta terça-feira à CAS (sigla em inglês para Corte Arbitral do Esporte) para reverter a suspensão de dois anos imposta pela principal entidade do futebol mundial.

Diakite foi punido inicialmente com uma suspensão de três anos por suspeita de envolvimento no caso de corrupção na escolha das sedes das Copas do Mundo de 2018 e 2022. A denúncia havia sido feita por reportagem do jornal britânico Sunday Times no ano passado. Segundo o periódico, membros da entidade pediram suborno a jornalistas disfarçados para votarem nos candidatos a sediar os próximos Mundiais.

O malinês Amadou Diakite é o terceiro acusado, dos seis ex-integrantes do comitê executivo da Fifa que foram suspensos em novembro passado, a apelar ao CAS na tentativa de reverter sua punição, que já havia sido reduzida para apenas dois anos pelo comitê de ética da própria Fifa.

A situação de Diakite, contudo, poderá se agravar depois que legisladores britânicos revelaram trechos inéditos da reportagem do Sunday Times nesta terça-feira. O novo material traria detalhes sobre o suposto pedido de suborno do malinês aos repórteres do jornal.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.