Tamanho do texto

Sequência negativa foi acompanhada por queda de rendimento do ex-melhor setor do time

Tite costuma dizer que um time só sai campeão se termina um campeonato ou com o melhor ataque ou com a melhor defesa. Até a 16ª rodada o Corinthians parecia optar pela segunda saída. O empate por 2 a 2 com o Ceará , porém, tirou do time paulista, ainda líder do Brasileirão , o status de equipe menos vazada do torneio. Os gols de Osvaldo e Rudnei fizeram o Corinthians chegar a 12 gols sofridos. O Palmeiras tem 11 e, agora, os melhores números defensivos do campeonato.

Júlio Cesar sofreu metade dos gols corintianos no Brasileiro
Bruno Winckler
Júlio Cesar sofreu metade dos gols corintianos no Brasileiro

Siga a página do iG Corinthians do Twitter

Para perder o posto que ostentava desde o início do campeonato, o Corinthians precisou triplicar os gols sofridos nas últimas seis partidas que disputou. Nas 10 primeiras rodadas, o Corinthians tomou quatro gols, o que dá uma média de 0,4 gols sofridos por jogo. Nas últimas seis partidas, contudo, o time de Tite sofreu oito gols, ou 1,3 tentos a cada confronto.

Entre para a torcida virtual do Corinthians

“O que aconteceu foi uma desatenção geral. A defesa estava muito bem, o ataque ajuda muito também na marcação, mas a desatenção geral pesou. Os dois gols contra o Ceará nasceram de bobeadas nossas. São detalhes que fizeram a gente empatar, mas são esses detalhes bobos que nós temos de consertar para não empatar mais jogos ou perder jogos como esse”, disse o goleiro Júlio César, que retornou exatamente neste jogo após cinco partidas de ausência.

Neste período em que o goleiro titular esteve de fora, o Corinthians chegou a sofrer três do Avaí numa partida. Na ocasião, o técnico Tite chegou a dizer que não admitia ver uma equipe sua sofrendo três gols nem mesmo do Real Madrid .

Desde 2003, quando o Brasileiro passou a ser disputado por pontos corridos, o dono da melhor defesa foi campeão três vezes: São Paulo (2006 e 2007) e Fluminense (2010), todos times treinados por Muricy Ramalho, um “mestre” para Tite quando ele fala dos pontos corridos.

Nos outros anos, o dono do melhor ataque foi campeão em 2003 (Cruzeiro), 2004 (Santos), 2005 (Corinthians) e 2006 (São Paulo). Em 2008 e 2009, quando São Paulo e Flamengo foram campeões, as duas equipes não foram donas nem do melhor ataque nem da melhor defesa.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.