Atacante, usado pelo técnico como referência para alfinetar Ronaldinho, mostra preocupação com rendimento do time em amistosos

Vicente Seda
Alex Silva e Deivid foram os primeiros a falar sobre dívidas do clube com jogadores
O atacante Deivid , citado por Vanderlei Luxemburgo como exemplo pela dedicação apesar da dívida do Flamengo em relação a direitos de imagem, que ultrapassa a dívida com Ronaldinho Gaúcho , mostrou preocupação com o recente desempenho da equipe. Nos dois amistosos realizados na pré-temporada, contra Londrina e Corinthians , os titulares não tiraram o zero do placar e tiveram atuação apagada. O técnico chegou a dizer, após a partida de domingo, que não estava enxergando o comprometimento que espera no olhar dos jogadores, tudo em função dos problemas que agitaram a semana do clube no Paraná.

Leia também: Ronaldinho vai para Bolívia, mas Fla tem prazo para pagamentos

Contra o Corinthians, os titulares se arrastaram em campo e saíram perdendo por 2 a 0 . No segundo tempo, os reservas empataram a partida. Mas a má impressão não foi apagada. “A gente fica preocupado com o rendimento da equipe. Temos de melhorar muito para os dois confrontos que, para nós, são os jogos do ano (contra o Potosí, dia 25, em Potosí, na Bolívia, e no dia 1 de fevereiro no Engenhão, no Rio). Até lá esse time tem de evoluir ou vai ficar complicado”, alertou o atacante.

Luxemburgo usou o camisa 9 como exemplo justamente por ser o atleta que mais tem a receber no elenco. Ao contrário de Ronaldinho , cuja viagem para a Bolívia esteve ameaçada por pressão de seu irmão e agente, Assis, por conta de cinco meses de direito de imagem atrasados, somando R$ 3,75 milhões, Deivid não recebe seus direitos de imagem há 18 meses, montante que já se aproximaria dos R$ 6 milhões.

E ainda: Luxemburgo admite que problemas estão tirando o foco do Flamengo

Titulares do Flamengo assistem reservas empatarem amistoso contra o Corinthians em Londrina
Vicente Seda
Titulares do Flamengo assistem reservas empatarem amistoso contra o Corinthians em Londrina

Nos treinamentos, o comportamento é exemplar. Mais de uma vez foi visto levando bronca do preparador físico Antônio Mello para parar de correr em volta do campo após os treinos já puxados da pré-temporada. Deivid não quer saber de desculpas. Como Luxemburgo , acredita que a classificação para a fase de grupos da Libertadores é obrigação.

“Esse time tem a base do ano passado, com exceção do Thiago Neves . Então não adianta darmos desculpas, temos é de trabalhar e melhorar muito para que possamos chegar bem na Bolívia e fazer bons jogos contra o Potosí. A equipe não é só Thiago Neves. Não jogamos esses dois amistosos como esperávamos”, disse.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.