Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Executivo do Arsenal assegura emprego de Wenger e nega crise

Quatro pontos em cinco jogos caracterizam o pior início de torneio desde 1953, quando equipe perdeu três vezes e empatou duas

Gazeta |

Apesar de fazer o pior início de Campeonato Inglês desde 1953, o emprego do francês Arsene Wenger como técnico do Arsenal não está ameaçado. Quem afirma é o chefe executivo do time, Ivan Gazidis durante o Clube do Café da Manhã da Indústria do Esporte, em Londres.

"Arsene Wenger não está quebrado. Vê-lo sendo chamado de idiota causa danos, não para ele ou para o clube, mas para o jogo. Não vamos demiti-lo. Ele não se tornou um treinador ruim e perdeu a sensibilidade de repente. Isso não faz sentido. Se começarmos a pensar a curto prazo, vamos prejudicar ainda mais o clube. Ele está frustrado, mas muito focado em fazer as coisas certas", contou o dirigente.

Após relutar bastante, Wenger vendeu os meias Cesc Fabregas e Samir Nasri para Barcelona e Manchester City, respectivamente. No entanto, teve pouco tempo para contratar reposições, e trouxe jogadores como os meias Mikel Arteta e Yossi Benayoun, o zagueiro Per Mertesacker e o lateral esquerdo André Santos, evitando desembolsar grandes quantias.

Apenas uma posição acima da zona de rebaixamento, os Gunners venceram o recém-promovido Swansea, empataram sem gols com o Newcastle, foram derrotados por Liverpool e Blackburn e goleados por 8 a 2 pelo Manchester United. Quatro pontos em cinco jogos caracterizam o pior início de torneio desde 1953, quando perderam três vezes e igualaram duas.

"O clube não está em crise. Não há racha. Nós trabalhamos juntos. Nós fizemos um pequeno ajuste, trazendo jogadores mais experientes e estamos muito felizes com nossas aquisições. Se gastássemos todo nosso dinheiro, faríamos decisões ruins, então nos resguardamos. O clube está focado em uma responsabilidade, em um modelo sustentável. O futebol está caminhando para onde nós já estamos. Nós representamos o futuro do futebol", disse Gazidis.

Leia tudo sobre: arsenalfutebol mundialinglaterra

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG