Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Exames constatam edema e Dedé fica fora de combate por 4 semanas

Zagueiro deve ficar fora das finais da Taça Rio e da primeira partida das oitavas de fina da Libertadores

Hilton Mattos, iG Rio de Janeiro |

Na véspera do clássico com o Flamengo, o Vasco tem uma baixa considerável. O zagueiro Dedé já estava fora do jogo, mas a notícia dada na manhã desta sexta-feira pelo médico Clóvis Munhoz caiu como uma ducha de água fria. Os exames aos quais o jogador foi submetido na manhã de quinta mostram que a lesão vai deixá-lo de fora do time por quatro semanas. Com isso, o Mito perde as finais da Taça Rio e da primeira partida das oitavas de fina da Libertadores.

Hilton Mattos
Médico Clóvis Munhoz concede entrevista na sala de imprensa do Vasco
De acordo com o médico do clube, Dedé sofreu um edema ósseo por estresse na fíbula da perna esquerda e passará por intensivo tratamento à base de reforço na bicicleta ergométrica e natação. Para afastar a possibilidade de fratura – principal medo do departamento médico -, o zagueiro fez dois exames: imagem (ressonância) e tomografia.

“A previsão é de quatro semanas parado, mas isso não significa que ele ficará sem treinar. Ele ficará sob observação, mas, devido à pouca idade e ao vigor ao físico, temos esperança de reduzir este período para três semanas. Com duas semanas, ele será submetido a um novo exame para ver se isso é possível”, contou o médico vascaíno.

Clóvis explicou que Dedé sofrera uma pancada antes do jogo com o Resende. O zagueiro se queixou de dores, fez tratamento e na sequência enfrentou o Barcelona de Guayaquil, na despedida de Edmundo. Mas, de acordo com o médico, sentia-se em condições de atuar. No entanto, pediu para não jogar contra o Macaé e, na última terça-feira, em Lima, no Peru, fez questão de jogar pela Libertadores, diante do Alianza.

“Em Lima, ele jogou parte da partida com dor, pois o local esta dolorido. Com isso, optamos pelos exames. Felizmente não houve fratura”, completou o médico.

O técnico Cristóvão Borges lamentou a ausência do zagueiro, mas acredita que os reservas darão conta do recado.

Dedé é uma grande perda, jogador com espírito muito bom para a equipe. Temos outros jogadores que estão vindo também. Fabrício teve chance e foi bem; Douglas, também. Este tempo em que ele ficará parado, outro jogadores terão oportunidade na equipe", disse o treinador.
 

Leia tudo sobre: vascodedécristóvão

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG