Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

"Estrela solitária", Marta busca primeira conquista coletiva

Depois de vices em Copas do Mundo e Olimpíadas, a melhor jogadora do mundo é mais uma vez a principal arma brasileira

iG São Paulo* |

Depois de ganhar a medalha de prata três vezes em Copas do Mundo em oito anos, a principal estrela do futebol feminino brasileiro, Marta, tem um objetivo claro na edição 2011 do torneio, que começa para o país nesta quarta-feira, com o confronto diante da Austrália, às 13h15 (horário de Brasília), em Mönchengladbach, na Alemanha.

A melhor jogadora de futebol do mundo, vencedora de todos os prêmios individuais possíveis na modalidade, sonha em finalmente chegar ao lugar mais alto de um pódio acompanhada de suas companheiras. “Não estou cansada [da prata], eu tenho prata aqui”, diz, sorrindo e apontando seu colar. “Eu gosto de prata, mas na competição, claro, quero o ouro”.

Também não é segredo que as chances de o Brasil atingir esse objetivo – e superar a favorita Alemanha – se baseiam fortemente na presença da atacante. O suficiente para que, na imprensa estrangeira, ela seja identificada como “Fenômeno” ou “Pelé de saias”. E para que atraia elogios de quem já assumiu o status de maior estrela do país no futebol masculino.

“Ela é sensacional, espetacular. Quando ela está no campo, é como se ela estivesse jogando um esporte diferente [das outras jogadoras]. Eu acho que ela é tão importante para o futebol feminino quanto o Ronaldo foi para a seleção masculina”, disse o atacante Neymar, que depois do título da Libertadores pelo Santos, se prepara para sua primeira competição com a seleção principal, a Copa América.

Getty Images
Ao lado de Messi, Marta recebeu em janeiro seu quinto prêmio seguido de melhor do mundo entre as mulheres

Embora ela mesma diga que o Brasil não é um time de uma estrela só – até por contar com Cristiane, outra das melhores do mundo –, o fato é que Marta não é apenas o rosto mais famoso do Brasil, mas do mundo inteiro no futebol feminino na última década. E não é para menos: aos 25 anos, ela já foi eleita a melhor do mundo por cinco vezes consecutivas.

Além de diversos títulos por todos os clubes pelos quais passou, ela se tornou no ano passado uma embaixadora das Nações Unidas na luta contra a pobreza. Com tudo isso, de fato, resta apenas um item para completar esse currículo. Algo dourado em uma prateleira já cheia de pratas.

“É muito importante, porque eu ganhei títulos individuais e agora quero conseguir uma medalha coletiva, não apenas para mim, mas para o time inteiro, as atletas, comissão técnica, todos. E para o Brasil”, disse.

Os vice-campeonatos em Mundiais e Olimpíadas recentes já ajudaram a chamar a atenção para o futebol feminino no Brasil, especialmente quando as jogadoras levaram uma faixa com a mensagem “Brasil, precisamos de apoio”, à cerimônia de entrega das medalhas em 2008.

Mas Marta acredita que o ouro pode trazer uma atenção jamais vista ao esporte. Por isso, ela comemora as palavras de Neymar. “É bom ouvir isso. Quando você começa a conseguir a atenção das pessoas, isso traz responsabilidades”, afirmou a jogadora que mais responsabilidade terá nas costas nessa Copa do Mundo.

* com Associated Press

Leia tudo sobre: futebol femininocopa 2011 femininamarta

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG