Tamanho do texto

“Fenômeno” levou três meses para jogar pelo Corinthians; são-paulino segue com situação indefinida

A situação atual do atacante Luis Fabiano no São Paulo , claro, tem aspectos incomparáves com a que viveu Ronaldo em sua chegada ao Corinthians . Enquanto o camisa 9 são-paulino se recupera de uma lesão de gravidade menor, nos tendões do joelho direito, o “Fenômeno”, no começo de 2009, ainda se recuperava de uma séria cirurgia no mesmo local. Mesmo assim, algumas comparações podem ser feitas em relação à forma como cada clube conduziu a expectativa pela estreia de suas maiores contratações recentes.

Apresentado oficialmente pelo Corinthians no dia 12 de dezembro de 2008, então com 32 anos, Ronaldo não jogava desde o dia 13 de fevereiro, quando se machucou em um jogo contra o Livorno, ainda pelo Milan . Três dias depois, iniciou um trabalho individual em uma academia particular, já que o elenco do time estava em férias. E no dia 26 começou a pré-temporada com os companheiros, ainda trabalhando separado.

Desde o começo, o jogador afirmou que só voltaria quando estivesse 100%, enquanto os médicos e membros da comissão técnica evitavam previsões sobre a estreia. Ainda nas primeiras semanas de janeiro, foi anunciado que o retorno só deveria acontecer em março. Vale lembrar também que no caso de Ronaldo, além da contusão, a forma física longe do ideal era outro problema. Porém, como o jogador foi contratado ainda no ano anterior, teve menos pressão por estrear rápido.

No dia 19 de fevereiro, após boa atuação em um coletivo, foi feita a primeira previsão para a estreia: o clássico contra o Palmeiras pelo Campeonato Paulista. Ele passou a ser relacionado para os jogos, se concentrava com a equipe, mas nem ficava no banco. Até que, sem estardalhaço, foi para o banco na partida contra o Itumbiara - estreia na Copa do Brasil, cujo título o Corinthians conquistaria - e no segundo tempo entrou em campo pela primeira vez com a camisa corintiana. Quatro dias depois, contra o Palmeiras , não só voltou a jogar como também marcou o gol do empate no clássico.

No caso de Luis Fabiano, a recuperação com profissionais do São Paulo teve início imediatamente após o anúncio da contratação, no dia 11 de março . Ainda na Espanha, ele iniciou as atividades também em uma academia particular, com assistência de fisioterapeutas do clube paulista que viajaram para a Europa. Sua última partida, ainda pelo Sevilla , havia acontecido cinco dias antes . Ele saiu de campo com muitas dores, preocupando os médicos do clube espanhol . Mas o próprio jogador disse que a contusão não era grave e que voltaria em um mês e meio.

Após a festa no Morumbi em sua apresentação , no dia 29 de março, Luis Fabiano concedeu entrevista coletiva e disse que teria condição de jogar em duas semanas . Como ele não poderia atuar pelo Campeonato Paulista, a primeira possibilidade de entrar em campo seria no dia 20 de abril , contra o Goiás , pela Copa do Brasil. Aí, no entanto, as previsões começaram a se mostrar equivocadas.

Primeiro, a presença do atacante foi descartada em Goiânia e confirmada para o dia 27, no Morumbi . Mais uma vez adiada, a estreia foi então marcada para o dia 4 de abril, no jogo de ida contra o Avaí pelas quartas de final do torneio nacional. Dessa vez, o próprio Luis Fabiano chegou a dar entrevista confirmando que iria pro jogo e que, apesar das dores, aguentaria de 70 a 80 minutos em campo . As dores, porém, se intensificaram e a estreia novamente foi adiada , dessa vez indefinidamente .

Tanto Luis Fabiano quanto o já aposentado Ronaldo tiveram problemas para reestrear no Brasil
Gazeta Press
Tanto Luis Fabiano quanto o já aposentado Ronaldo tiveram problemas para reestrear no Brasil
Na tarde de segunda-feira, pouco depois de ter sua permanência confirmada no São Paulo , o técnico Paulo César Carpegiani já demonstrou que não deve contar com o atacante para o primeiro jogo do Campeonato Brasileiro, no próximo domingo, contra o Fluminense.

Há mais de dois meses em recuperação com profissionais do São Paulo, a demora na estreia de Luis Fabiano vai se aproximando da de Ronaldo pelo Corinthians (64 dias contra 79, a partir do início dos treinos como jogador do time). Pelas informações desencontradas, erros de avaliações e anúncios de estreia cancelados, no entanto, já se pode dizer que o reinício do “Fabuloso” em sua volta ao Brasil está mais complicado que o do “Fenômeno”, agora já aposentado. Resta a expectativa pelo rendimento do camisa 9 quando ele finalmente estrear.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.