Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Estreante peruano fecha possível grupo do Grêmio na Libertadores

León de Huánuco, do brasileiro Roni, perdeu final de torneio nacional no domingo e ficou com a segunda vaga do Peru

Hector Werlang, iG Porto Alegre |

_CSEMBEDTYPE_=inclusion&_PAGENAME_=esporte%2FMiGComponente_C%2FConteudoRelacionadoFoto&_cid_=1237882545122&_c_=MiGComponente_C

Só falta, agora, passar pelo Liverpool, do Uruguai, na pré-Libertadores. Desde domingo, o Grêmio conhece todos os seus possíveis adversários na fase de grupos do torneio mais importante da América do Sul. Ao perder da final do Campeonato Peruano para o Universidad San Martín, o León de Huánuco ficou com a segunda vaga do país e integrará o Grupo 2, ao lado de Junior de Barranquilla (Colômbia) e Oriente Petrolero (Bolívia).

Com 64 anos de história, o Léon estreará na Libertadores. O segundo lugar no nacional foi a melhor campanha da equipe de Huánuco, cidade ao norte do Peru e distante 410 quilômetros da capital Lima.

A derrota por 2 a 1 para o San Martín (eliminado pelo Grêmio nas oitavas de final da Libertadores 2009) revelou um time emergente no futebol peruano e um treinador ético a ponto até de prejudicar a própria equipe. Franco Navarro não escalou o volante argentino Gustavo Rodas, apontado como o melhor jogador do campeonato, apesar do efeito suspensivo concedido pela Comissão de Justiça da Associação de Futebol Profissional. No jogo de ida, empate por 1 a 1, Rodas foi expulso ao se envolver numa confusão generalizada. O cartão vermelho foi anulado sob o argumento de que o jogador não agrediu ninguém.

"Todos concordam, inclusive Rodas, que não se deve tirar vantagem de algo errado. Há muita hipocrisia no futebol, porém, este clube tem dignidade", justificou o treinador em entrevista ao jornal "El Comercio".

Aos 49 anos, Navarro, ex-atacante da seleção, que inclusive disputou a Copa do Mundo de 1982, na Espanha, perdeu a sua quarta final de campeonato. Ele comandou uma equipe forte em casa, o Estadio Heraclio Tapia, com capacidade para 25 mil pessoas: 16 vitórias, quatro empates e uma derrota em 21 jogos.

Outro destaque da equipe é o atacante brasileiro Ronaille Calheira, o Roni, 26 anos, revelado pelo Colo-Colo, de lhéus, na Bahia, que pode assumir o posto de titular na próxima temporada. Afinal, o colombiano Luis Perea (não é aquele que atuou no Grêmio em 2008), vice-artilheiro com 23 gols, pode se transferir para o equatoriano Deportivo Quito.

A Conmebol ainda não divulgou as datas dos confrontos da pré e tampouco dos grupos da Libertadores.

Leia tudo sobre: copa libertadoresfutebol internacionalgrêmioperu

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG