Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Estádio corintiano passa por análise do Comitê da Copa 2014

Em reunião nesta segunda-feira, no Rio de Janeiro, clube paulista, arquitetos e construtora exibiram projeto de Itaquera ao órgão fiscalizador do Mundial

Bruno Winckler e Vicente Seda, iG São Paulo e Rio |

_CSEMBEDTYPE_=inclusion&_PAGENAME_=esporte%2FMiGComponente_C%2FConteudoRelacionadoFoto&_cid_=1237882610688&_c_=MiGComponente_C

O estádio do Corinthians, que será erguido em Itaquera e visa a sediar a abertura da Copa do Mundo de 2014, teve seu projeto avaliado e analisado em reunião na manhã desta segunda-feira, na sede do Comitê Organizador da Copa, no Rio de Janeiro.

A reunião, a primeira de uma série de encontros que serão realizados nesta semana, serviu para que o clube, a construtora Odebrecht e o arquiteto responsável pela obra, Aníbal Coutinho, esclarecessem o Comitê quanto aos prazos e as ações que estão sendo tomadas para a construção e ampliação do estádio para ter condições de abrigar o primeiro jogo do Mundial.

O presidente Andrés Sanchez aguarda que até o dia 15 de janeiro todos os trâmites legais estejam concluídos para, depois disso, anunciar quais serão as empresas que bancarão a ampliação. O estádio corintiano tem projeto para 48 mil lugares, mas precisa chegar a 65 mil, número mínimo exigido pela Fifa para que um estádio esteja apto a abrir um Mundial.

Orçadas inicialmente em R$ 350 milhões, as obras do estádio corintiano receberão um aporte de mais R$ 200 milhões para a ampliação de sua capacidade. O BNDES banca parte da obra financiada pela Odebrecht. A negociação do nome da arena, os naming rights, também está em discussão e o valor a ser pago por uma empresa ainda indefinida ajudará a dar início às obras.

Participaram da reunião nesta segunda-feira o vice-diretor de operações do Comitê, Ricardo Trade; o gerente geral de relacionamento com as cidades-sedes, Fábio Starling; a gerente geral de transportes, Elaine Felske; o consultor de estádios Carlos de La Corte; o consultor jurídico Álvaro Palma de Jorge; o diretor do escritório da FIFA no Brasil, Fúlvio Danilas; a secretária executiva do GT paulista, Raquel Verdenacci; o gerente de engenharia da Odebrecht, Paulo Camargo de Almeida; o engenheiro do Corinthians, Carlos Pereira de Magalhães; e o arquiteto responsável pelo projeto, Aníbal Coutinho.

Após as conversas entre o COL e os responsáveis pelo projeto do estádio corintiano a prefeitura de São Paulo e o comitê local da Copa terão de enviar as garantias financeiras para a execução do projeto, procedimento feito pelas outras 11 cidades-sede.

Por meio do diretor de comunicação da CBF e do COL, Rodrigo Paiva, a entidade disse que não fará nenhum pronunciamento oficial sobre a reunião. Podem haver alguns pequenos ajustes (no projeto) no início do ano, mas está tudo bem caminhado, disse Paiva. Procurada para dar um parecer sobre o encontro, a diretoria do Corinthians também preferiu o silêncio. Aníbal Coutinho, o arquiteto que assina o projeto, e Carlos Pereira de Magalhães, engenheiro que representou o clube na reunião, também não se pronunciaram quando procurados pela reportagem do iG.

Leia tudo sobre: copa 2014corinthiansestádio

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG