Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Espelho no Duque de Caxias, Fábio Braz acredita em "novo auge"

Capitão nas últimas equipes por que passou, o defensor retornou ao time carioca no início deste ano

Gazeta |

Os planos do capitão do Duque de Caxias não se restringem a uma boa campanha no Campeonato Carioca e à briga pelo acesso na Série B do Brasileirão. Aos 32 anos, o zagueiro Fábio Braz quer mostrar mais do que o característico espírito de liderança para alimentar o sonho de retornar a um grande clube do futebol nacional.

"Sou corintiano e com certeza desejo voltar para lá ou para outro clube grande, o sonho não morre nunca. Particularmente, acho que estou em um bom momento, correndo bem e jogando bem. Enquanto puder vou lutar por isso, buscar esse objetivo", declarou o defensor, que chegou a cantar um hit das arquibancas durante entrevista no Corinthians.

Antes de chegar ao clube do coração, ele passou por Anapolina-GO, Criciúma, XV de Novembro-RS, Paraná, Mogi Mirim, Guarani e Vasco, quando atingiu o auge da carreira, entre 2005 e 2007. No segundo semestre daquele ano, acertou com o Corinthians para ajudar na briga contra o rebaixamento, mas não teve sucesso. Após a queda para a Série B, o clube trocou quase todo o elenco para o ano seguinte.

Dispensado, Braz creditou a saída à troca do técnico Nelsinho Baptista por Mano Menezes. Sem outra alternativa, recomeçou sua trajetória acertando com o Boavista-RJ, mas teve uma fratura no pé e ficou quase um ano fora dos gramados antes de fechar com o América-RJ para o Estadual 2010. No mesmo ano, foi contratado pelo Duque de Caxias para a disputa da Série B, mas disputou apenas seis jogos e partiu para o Brasiliense.

Capitão nas últimas equipes por que passou, o defensor retornou ao Duque no início deste ano, assumiu novamente a braçadeira e virou espelho para os mais inexperientes. "Atuando por um clube menor, você percebe que a diferença é muito grande, mas não pode mostrar isso para os mais jovens. Para mim é como se fosse a mesma coisa. Faço por amor e teria a mesma vontade se estivesse em um clube da Série C", ensina.

Confiante, ele tem convicção de que o restante do elenco pode ajudá-lo a se destacar. "A cada ano o Duque melhora, faz bons campeonatos e a tendência é que cresça ainda mais na Série B. Se for assim, vai conquistar o acesso. O grupo tem experiência, sabe onde errou e o motivo de não ter subido. Agora é acertar os detalhes", finalizou.

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG