Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Escolhas de Falcão dão certo e Inter evolui nos quatro setores

Goleiros trabalham menos, defesa desarma mais, meias jogam avançados e atacante volta a fazer gols

Gabriel Cardoso, iG Porto Alegre |

O técnico Paulo Roberto Falcão fez quatro grandes mudanças desde que chegou ao Inter . Algumas por opção, outras por necessidade. Rodrigo ficou com a vaga de Índio na zaga. O meia-atacante Andrezinho ganhou espaço no elenco, ultrapassou Zé Roberto e conseguiu inclusive se firmar entre os titulares. Rafael Sobis foi efetivado no ataque. A última alteração foi na camisa um. Lauro se machucou e foi substituído por Renan .

Tenha as estatísticas no seu iPhone e faça comparações entre times e jogadores

O time melhorou. Já são cinco jogos sem derrota, um título do turno estadual e a classificação para as quartas-de-final da Libertadores encaminhada. A defesa ficou mais protegida. O goleiro está tendo que trabalhar menos e o desarme está sendo mais eficiente.

Os meias estão mais próximos do gol. Eles conseguem um maior número de finalizações e de cruzamentos. Rafael Sobis apenas voltou para a sua função original, o ataque. Está conseguindo chutar mais a gol, e voltou a balançar a rede. Com base nos dados do Footstats, o iG separou o time do Inter por setores e apresenta algumas comparações:

Jefferson Bernardes/Vipcomm
Renan ajudou o Inter a vencer o Gre-Nal. Ele defendeu um pênalti nas cobranças decisivas

Os goleiros:
Os números dos goleiros mostram uma melhor proteção defensiva. Pelo Gauchão, Lauro teve uma média de 2,8 defesas por partida. Renan – 0,7. O novo titular ainda fez seis defesas em dois jogos da Libertadores; contra 20 intervenções de Lauro nas primeiras cinco rodadas.

Gabriel Cardoso
Rodrigo cobrou até pênalti no Gre-Nal

A defesa:
Falcão mudou Índio por Rodrigo. E o novo zagueiro foi beneficiado pela melhor montagem da defesa. Rodrigo tem mostrado maior eficiência nos desarmes. Ele conseguiu quatro roubadas de bola em dois jogos da Libertadores. Índio, antigo titular, teve o dobro de partidas, mas só fez um desarme.

Índio, apesar de zagueiro, já foi conhecido pelo faro de goleador. Ele balançou as redes pelo clube em 26 vezes, tendo marcado ainda cinco gols contra o Grêmio. Porém, ele não vinha chegando tanto ao ataque e foi superado por Rodrigo. O novo titular já tentou sete finalizações nos cinco jogos de titularidade. Além de subir ao ataque nos escanteios, ele também é cobrador de faltas. Índio tentou o gol apenas seis vezes nos 12 jogos que participou.

O meio-campo:
Falcão trocou dois volantes e três meias por dois volantes e dois meias. Os jogadores defensivos ficam centralizados, enquanto os ofensivos jogam pelos lados do campo. Andrezinho passou a ser titular. Ele não chegou a ser uma convicção do novo técnico. Foi ganhando oportunidades por causa da lesão de Oscar e da suspensão de D´Alessandro em um jogo. Conseguiu uma sequência de três partidas como titular e ganhou um lugar entre os 11.

O time do novo treinador joga mais pelos lados do campo, e Andrezinho supera Zé Roberto, jogador que era muito utilizado por Celso Roth. Andrezinho tem média de 3,8 cruzamentos por partida contra 1,3 de Zé Roberto. Contando apenas os jogos com o novo treinador, a média sobe para 7,6 cruzamentos por jogo. Andrezinho deu duas assistências para gol. O meia também acaba jogando mais perto da área. Foram 16 finalizações nos últimos 5 jogos; enquanto Zé Roberto deu 27 chutes em 13 partidas.

Vipcomm
Sobis voltou a comemorar gols em 2011
Atacante Sobis x Meia-atacante Sobis
Mais perto do gol, o atacante passou a criar mais chances. Sobis havia feito seis partidas do Gauchão sob o comando de Celso Roth (esquema tático 4-2-3-1) e a média de chutes a gol havia sido de 1,5 por jogo. Não fez nenhum gol.

Ele começou a se recuperar na partida contra o Universidade, quando o técnico interino André Doring lhe passou para o setor ofensivo (esquema tático 4-4-2). Sobis fez dois gols e ainda deu uma assistência. Sob o comando de Falcão ele começou a ter mais oportunidades de gol: foram 4,6 finalizações por jogo. Também deixou sua marca no jogo contra o Emelec, pela Libertadores. Sobis não foi titular no Gre-Nal, mas quando a opção é por ele, acab sendo colocado na sua função de origem. Ali,perto do gol, o atacante foi fundamental nas duas vezes que o Inter ganhou a Libertadores, em 2006 e 2010.

Leia tudo sobre: InternacionalFalcão

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG