Botafogo cogita usar máquina especial desenvolvida por empresa holandesa para recuperar o campo

Em 2011, o gramado do estádio Engenhão sofreu uma série de reclamações de jogadores e treinadores de várias equipes do futebol brasileiro. Principal palco do futebol carioca desde o fechamento do Maracanã, no segundo semestre de 2010, o estádio sofre com uma sequência de jogos . Para tentar melhorar as condições da grama, o Botafogo estuda a utilização de uma máquina com luz artificial para compensar as sombras das arquibancadas.

Siga o iG Botafogo no Twitter e receba todas as informações do seu time em tempo real

Segundo o engenheiro agrônomo Arthur Mello, responsável pela manutenção do gramado do Engenhão, além da sequência de jogos, a falta de luz natural no campo também é um dos motivos da má condição do gramado. Uma empresa holandesa está visitando o Engenhão, enquanto o Botafogo analisa se o investimento é viável. A máquina já é usada em estádios da Europa, que sofrem com o mesmo problema.

"O problema que ocorre no Engenhão não é nada muito diferente do que acontece nas principais arenas esportivas modernas mundiais. Começou cerca de 20 anos atrás, quando os estádios começaram a ter uma cobertura com muita sombra no gramado. Se trabalha somente a parte arquitetônica, da engenharia civil, e depois de algum tempo se lembra que tem que botar um agrônomo ali para ver o campo. Uma empresa holandesa que desenvolve um esquema de luz especial, que trabalha em diversos estádios mundiais, como Camp Nou e Wembley, foi contratada pelo Botafogo, que encomendou um estudo de viabilidade de implantação desse sistema. Pensamos nessa implantação já para o ano que vem", declarou Mello, em entrevista à rádio Brasil.

Entre para a Torcida Virtual do seu time e convide seus amigos

Para o engenheiro agrônomo, a tendência é de que as novas arenas para a Copa do Mundo de 2014 usem a mesma tecnologia, até mesmo pelo fato da competição ser realizada no inverno.

"Nenhum estádio está pronto, mas já tem estudo de sombreamento em andamento. Isso é diferente do que acontecia no passado e que ocasionou o que temos hoje. À exceção de Cuiabá, as arenas com coberturas têm problemas. A Fifa está pedindo estudos específicos, com imagens tridimensionais. Eles querem o paliativo já agora, nesse momento. Já há um sentimento de que isso será um problema, então as medidas estão sendo tomadas agora", declarou Mello.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.