cortar na carne em 2011 - Futebol - iG" /
Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Endividamento faz Paraná cortar na carne em 2011

Clube terá elenco enxuto, barato e repleto de revelações. Objetivo é que a folha salarial não passe de R$ 100 mil por mês

iG São Paulo |

O Paraná Clube chegou a uma conclusão óbvia, mas que demorou muito tempo para ser entendida por sua diretoria: em 2011, só vai gastar o que arrecadar. Desde 2008, na tentativa de voltar à primeira divisão do Campeonato Brasileiro, o clube tem cometido estripulias financeiras que resultaram em um endividamento superior a R$ 30 milhões, segundo mais recente levantamento da consultoria Crowe Horwath RSC.

Boa parte desta dívida se refere a questões trabalhistas com jogadores de futebol. O Paraná transformou-se em um contumaz atrasador de salários, e os atletas, após encerrados os contratos, recorrem para receber o que lhes é devido. O clube não revela a quantidade de ações a que responde na Justiça do Trabalho, mas estima-se que hoje o número seja superior a 50. Por isso, a diretoria decidiu rever seus investimentos no futebol.

Para a próxima temporada, revela o presidente Aquilino Romani, a folha de pagamento não deverá passar de R$ 100 mil. Se quisermos sobreviver, vamos ter de cortar na carne, diz. A estratégia do clube é promover o maior número possível de jogadores sub-18, sub-19 e sub-20 e enxertar no elenco alguns mais experientes. Da equipe titular de 2010, poucos vão ficar.

Por enquanto, só o goleiro Juninho se propôs a abrir negociações. Já os zagueiros Luís Henrique e Irineu ¿ destaques da equipe na série B ¿ preferiram buscar o mercado do interior paulista. O técnico Roberto Cavalo lamenta, mas anuncia que vai procurar fazer do limão uma limonada. O ideal seria manter uma espinha dorsal, mas será difícil. Mesmo assim, tentaremos ser competitivos.

Na Série Bdeste ano, o Paraná Clube tinha uma folha salarial de R$ 300 mil. Era a segunda mais baixa, só atrás do Icasa. Segundo a diretoria, para extrapolar o teto de R$ 100 mil que será estabelecido para 2011, só se surgir alguma parceria que banque a diferença.

Projetando receita de R$ 1,5 milhão para o ano que vem, entre cotas de TV, patrocínio e arrecadações, o Paraná tem como meta principal na próxima temporada não fazer crescer seu endividamento. No ano passado, fechamos com déficit de R$ 6 milhões. Neste ano, o déficit caiu para R$ 1 milhão. Em 2011, queremos pelos menos zerar, antecipa Romani. 

Leia tudo sobre: paranásérie b

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG