Tamanho do texto

Treinador reconhece também que errou ao colocar Fernando Bob no lugar de Júlio César, machucado

Valeu pelo resultado positivo, mas não pela atuação do Fluminense . Foi assim que o técnico Enderson Moreira definiu a vitória suada de 3 a 1, sobre o Libertad, do Paraguai, nesta quinta-feira, no Engenhão, pela partida de ida das oitavas de final da Libertadores.

“Não fizemos uma grande partida. Sabemos que podemos jogar mais, mas o resultado acabou sendo bom. Tivemos bons momentos, mas acho que a parte técnica foi o problema. Não é justificativa, mas o gramado está terrível pela sequência de jogos e pela chuva que castigou o Rio", explicou.

Siga o iG Fluminense no Twitter e receba todas as informações do seu time em tempo real

Mas o treinador admitiu que não foram apenas seus jogadores que não estiveram numa noite inspirada. Enderson reconheceu que errou ao colocar Fernando Bob no lugar de Júlio César , que deixou o campo machucado aos 42 minutos do primeiro tempo.

Segundo o técnico do Fluminense, gramado ruim do Engenhão prejudicou o futebol de sua equipe
Photocamera
Segundo o técnico do Fluminense, gramado ruim do Engenhão prejudicou o futebol de sua equipe
“O Bob é um jogador espetacular e tenho certeza de que com o tempo ele será um dos destaques do Fluminense. Ele não teve culpa de nada, o erro foi meu. Eu pensei numa coisa, mas infelizmente não deu certo e tirei ele no segundo tempo para corrigir um erro que foi meu”, reconheceu o treinador tricolor, que entendeu a irritação do volante ao ser substituído aos 26 do segundo tempo.

“Eu entendo a irritação dele. É natural, mas não tem nada de queimar o jogador. O problema é que no Brasil existe uma cultura que o treinador não pode fazer uma substituição no primeiro tempo ou tirar um atleta que entrou no decorrer da partida. Mas eu não podia esperar que o meu erro comprometesse um resultado e tive que tomar a decisão, mas desta vez infelizmente não funcionou”, disse Enderson.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.