Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Empate com Atlético-PR na Arena da Baixada dá vantagem ao Vasco

Por ter feito gols na casa do rival, clube larga na frente na briga por vaga nas semifinais da Copa do Brasil

Hilton Mattos, iG Rio de Janeiro |

O Vasco foi a Curitiba e conseguiu um bom resultado na Arena da Baixada. Na noite desta quarta-feira, o time carioca empatou por 2 a 2 com o Atlético-PR, pelo jogo de ida das quartas de final da Copa do Brasil. Com o resultado, time passa à semifinal empater por 0 a 0 ou 1 a 1, dia 12, na partida de volta, em São Januário. O placar foi muito festejado pelos vascaínos, já que o torneio nacional é o único título ainda não conquistado pelo clube carioca.

AE
Elton chega junto em Madson, ex-Vasco, na Arena da Baixada

O jogo
A partida começou movimentada. Logo aos 2 minutos, o Atlético-PR teve uma boa oportunidade de abrir o placar. Guerrón recebeu na área, ajeitou a bola, mas na hora da conclusão foi impedido por Dedé, que chegou no carrinho para cortar a jogada. A resposta vascaína veio no minuto seguinte, com Diego Souza. O meia escorou cruzamento da direita, mas também foi travado no momento da conclusão.

Os donos da casa tinham mais a iniciativa do jogo. Precisavam fazer um bom resultado em Curitiba para diminuir a pressão no Rio. O fator campo era seu maior aliado. Os torcedores entenderam o recado. Ou apoiavam o time ou vaiavam o rival. Assim, na metade do primeiro tempo, via-se um Atlético-PR atacando e um Vasco ficando com os contra-ataques.

Numa destas investidas vascaínas aproveitando as subidas adversárias, Eder Luis entrou na área em condições de marcar, mas demorou a concluir, permitindo a chegada de um zagueiro. O time paranaense tinha mais a posse de bola, mas a equipe comandada por Ricardo Gomes era rápida na saída de bola. Eder Luis teve outra chance na frente de Renan, mas o chute saiu fraco.

A chance mais clara da primeira etapa saiu de uma cabeçada de Manoel. Aos 29, Paulo Baier cruzou quase do meio de campo para o zagueiro rubro-negro. A finalização exigiu de Fernando Prass uma defesa cinematográfica. De tapinha, no alto, o goleiro do Vasco salvou, mandando para escanteio.

Apesar do susto, o Vasco manteve a estratégia dos contra-ataques. Ricardo Gomes pediu que o time explorasse a velocidade de Eder Luis na saída de jogo. E foi assim que o time chegou ao primeiro gol. O próprio Eder Luis entrou na área e acertou a trave. No rebote, Alecsandro, livre, só teve o trabalho de empurrar para o gol: 1 a 0. Na comemoração, o atacante imitou um gesto eternizado pelo pai Lela, ídolo do Coritiba nos anos 80, fazendo careta. Acabou advertido pelo árbitro com cartão amarelo.

Na saída de campo, Alecsandro saiu reclamando. Primeiro dos gandulas. Segundo o atacante, estavam retardando a reposição de bola. Depois, da advertência. Fernando Prass ameaçou ir atrás de um dos gandulas. “Imitei meu pai. Ele merece. Jogou aqui no Coritiba, comemorava assim e sempre fez aqui contra eles (Atlético-PR)”, disse Alecsandro.

O Atlético-PR voltou mais disposto no segundo tempo. Com Branquinha no lugar de Róbston, o time paranaense ganhou mais velocidade na saída de bola. Tanto que aos 8 minutos, depois de muita indecisão e série interminável de rebotes, Guerrón ficou com a sobra e, de cabeça, mandou para o fundo da rede. O gol de empate fez o Atlético crescer na partida.

Gazeta Press
Disputa aérea na Arena da Baixada durante o movimentado jogo entre Atlético-PR e Vasco


O Vasco, que apostava nos contra-ataques, praticamente assistiu aos donos das casa pressionando no seu campo de defesa. Pensando em dar proteção à zaga, Ricardo Gomes trocou Fellipe Bastos por Eduardo Costa. O time carioca arriscou pouco. Mas foi eficiente aos 28. Diego Souza ajeitou na entrada da área e chutou no ângulo esquerdo de Renan: 2 a 1. O gol veio no momento certo para o Vasco e para o camisa 10, que começava a ser contestado pelas atuações irregulares.

O Atlético-PR se lançou ao ataque desesperadamente. O técnico Adilson Batista trocou Rômulo por Lucas, dando mais ofensividade à equipe rubro-negra. Aos 38, Paulo Baier, de falta, obrigou Prass a última difícil defesa. Mas, aos 43, o meia, de pênalti, deixou tudo igual no marcador novamente: 2 a 2. Foi 13º gol de Baier na temporada.

FICHA TÉCNICA - ATLÉTICO-PR 2 X 2 VASCO


Local: Arena da Baixada, em Curitiba (PR)
Data: 4 de maio de 2011, quarta-feira
Horário: 21h50 (Horário de Brasília)
Árbitro: Wilton Pereira Sampaio (DF)
Auxiliares: Bruno Bosquilha e Fábio Pereira (TO)
CARTÕES AMARELOS: Alecsandro, Fellipe Bastos, Felipe, Allan, Eduardo Costa e Ramon

GOLS:
Atlético-PR: Guerrón, aos 6 minutos do segundo tempo; e Paulo Baier, aos 43
Vasco: Alecsandro, aos 36 minutos do primeiro tempo; e Diego Souza, aos 28

ATLÉTICO-PR: Renan Rocha; Rômulo (Lucas), Manoel, Rafael Santos e Paulinho; Deivid, Róbston (Branquinho), Paulo Roberto e Madson; Paulo Baier e Guerrón.
Técnico: Adilson Batista

VASCO: Fernando Prass; Allan (Fágner), Dedé, Anderson Martins e Ramon; Fellipe Bastos (Eduardo Costa), Rômulo, Felipe e Diego Souza; Alecsandro e Eder Luis.
Técnico: Ricardo Gomes

Leia tudo sobre: atlético-prvascocopa do brasil 2011diego souzabaier

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG