Atacante prestou depoimento nesta quinta à respeito da compra ilegal de carro importado

Emerson lida com problemas na justiça
Futura Press
Emerson lida com problemas na justiça
O atacante Emerson, do Corinthians, esteve no Rio de Janeiro no início da tarde desta quinta-feira para prestar depoimento à Procuradoria Geral da República sobre seu envolvimento na interceptação de carros importados ilegais. Ele, e outros dois jogadores, Diguinho, do Fluminense, e Kleberson, do Atlético-PR são investigados pela Polícia Federal em operação batizada de Black Ops.

Leia também: Emerson é condenado a pagar R$ 1,6 milhões a ex-empresário

Segundo a investigação, uma quadrilha comandada pelo israelense Yoram El Al, importou ilegalmente 102 veículos nos últimos dois anos. Como as notas fiscais eram subfaturadas, os carros eram vendidos por preços mais baixos e serviam para lavagem de dinheiro da quadrilha, envolvida também com máquinas caça-níqueis. Emerson comprou um desses carros. Ele alega que não sabia da irregularidade, mas pode ter de responder processo pelos crime de contrabando.

Em outubro, a operação "Black Ops" da Polícia Federal prendeu 13 pessoas da quadrilha, que também vendeu carros contrabandeados aos cantores Latino e Belo. O depoimento do atacante à Procuradoria durou pouco mais de uma hora. De lá, saiu sem dar declarações e seguiu para o aeroporto Santos Dumont. O jogador se apresentou ao clube e às 16h30 iniciou o treinamento com os colegas de Corinthians no CT do Parque Ecológico.

Por meio da assessoria de imprensa do Corinthians, Emerson disse que não se pronunciará sobre o assunto. Ele treinou entre os titulares e deve iniciar a partida contra o Figueirense, domingo, em Florianópolis.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.