Sheik mostra otimista em avançar na Libertadores, mas lamenta protesto de torcedor que invadiu vestiário

Autor do gol do título brasileiro no ano passado, Emerson lamentou a derrota para o Nacional, por 2 a 0, mas afirmou no desembarque do Fluminense ao Rio de Janeiro que ainda acredita na classificação às oitavas-de-final da Libertadores. Mas como o jogo contra o Argentinos Juniors, pela última rodada, só acontece dia 20 de abril, em Buenos Aires, o atacante quer pensar apenas no Campeonato Carioca.

“Vamos acreditar até o fim, pois temos um grupo de guerreiros, de amigos e que não vai desistir dessa classificação facilmente. Enquanto tivermos chances matemáticas de classificação, vamos acreditar. A torcida pode ter certeza disso. Agora é hora de trabalhar fortemente e pensar apenas na próxima partida contra o Americano”, afirmou Emerson.

Apesar do momento conturbado que o clube vive fora de campo, que culminou com o pedido de demissão de Muricy Ramalho, Sheik prefere não apontar culpados e entende a tristeza dos torcedores.

“Não é o momento de dizer quem está errado e onde podemos melhorar. O time sabe o que precisa acertar. Não adianta procurar culpados. O torcedor estar triste é normal. Ele pensa diferente, mas tem paixão por vitórias. Quer sempre ganhar. Já recebi várias mensagens ontem, após o jogo, de apoio e confiança”, afirmou Emerson.

No entanto, o atacante reprovou a invasão de um torcedor ao vestiário para criticar o time e cobrar explicações do técnico Enderson Moreira.

“Fiquei sabendo o que aconteceu quando já estava dentro do ônibus. Não aprovo um torcedor interromper uma coletiva para fazer cobranças, pois acho uma falta de respeito e isso não pode acontecer. É uma falta de respeito com o Enderson e com a instituição. Lamentável. Estamos trabalhando e sabemos que, na hora certa, a torcida vai nos apoiar independentemente do que possa ocorrer”, lamentou o atacante.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.