Acompanhado de Frizzo e Munhoz, presidente do Palmeiras acompanha trabalhos desta terça-feira

Arnaldo Tirone, presidente do Palmeiras, também adotou a lei do silêncio imposta por Luiz Felipe Scolari. Nesta terça-feira, o dirigente apareceu na Academia de Futebol e preferiu não conversar com a imprensa. Ao lado do vice-presidente de futebol, Roberto Frizzo, e do vice-presidente financeiro, Walter Munhoz, o cartola assistiu Valdivia voltar a treinar com bola.

Tirone apareceu no treino, mas não conversou com a imprensa
Gazeta Press
Tirone apareceu no treino, mas não conversou com a imprensa
O chileno voltou a pisar no gramado após voltar para o Palmeiras machucado, logo depois de disputar um amistoso com a seleção chilena. Ele deve ser nova opção de Felipão para o jogo deste sábado contra o América-MG. Além do chileno, Dinei também treinou com bola e tem uma chance de voltar a vestir a camisa palmeirense, assim como Marcos, que também participou do coletivo.

Siga o Twitter do iG Palmeiras e receba as notícias do seu time em tempo real

Em relação à lei da mordaça, Tirone e Frizzo preferiram não falar. O vice-presidente disse apenas que foi uma decisão tomada em conjunto e que é momento de reflexão. Mais cedo, por telefone, o presidente conversou com o iG e disse que não sabia da decisão do técnico, mas que concordava com a decisão.

"Eu não sabia. Até conversei com o Felipão hoje na hora do almoço, ele me disse apenas que ia conversar com os jogadores, mas não sabia dessa lei. Se ele acha bom, ele pode fazer. É o treinador", disse o dirigente.

Durante o treinamento, Felipão conversou bastante com Tirone, Frizzo e Munhoz. Durante mais de 20 minutos, o técnico parou de prestar atenção ao treino e ficou em uma reunião, gesticulando bastante, falando bem mais que os dirigentes.

Coloque seu time em 1º lugar no ranking da Torcida Virtual do iG Esporte

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.