Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Em lua de mel no Rio, Bernardo diz: "Cruzeiro é coisa do passado"

Meia revela mágoa ao ser preterido por Cuca, mas fase no Vasco e beleza da Cidade Maravilhosa o seduziram

Hilton Mattos, iG Rio de Janeiro |

Bernardo tinha um sonho: fazer história no Cruzeiro. Paulista de Sorocaba, vislumbrava o sucesso em Belo Horizonte, cidade da mulher, Laila, onde mora com os filhos Enzo (4 anos) e Lucca (2). Mas Cuca, técnico do time mineiro, assumiu o papel de vilão na vida do jogador. Porém, como em todo conto o mocinho tem um final feliz, a vida hoje lhe sorri no Vasco, em um estado com praias e belezas naturais que despertaram a paixão do novo xodó de São Januário.

“O Cruzeiro ficou para trás. Tenho mágoa, porque queria ficar lá. Respeito a posição do Cuca, que tinha o grupo dele, mas lamentei. Em janeiro, pedi para ficar, eles não quiseram. Mas Graças a Deus, estou muito feliz no Vasco”, abre o coração Bernardo.

Jogador de talento refinado, Bernardo era uma promessa no Cruzeiro. Então com 19 anos, em 2010, perdeu espaço com as contratações de Montillo e Roger. Cuca apostou na experiência destes jogadores, o que obrigou a direção do time celeste a emprestá-lo no Campeonato Brasileiro.

Com a camisa do Goiás, disputou a competição às voltas com a instabilidade técnica da equipe. Resultado: apesar boas, não se livrou do rebaixamento. Conseguiu, pelo menos, despertar a atenção de grandes clubes com suas exibições.

AE
Bernardo perdeu espaço no Cruzeiro e, agora, vive boa fase no Vasco


Quando voltou para a Toca da Raposa, no começo deste ano, pediu uma reunião com os dirigentes. Insistiu em ficar. Disse que não desejaria sair novamente de Belo Horizonte. Seu desejo era brilhar no Cruzeiro, clube que, revela, aprendeu a gostar ao chegar em 2009.

De nada adiantou, porém, o apelo. Cuca, mais uma vez, não o relacionou para a temporada. E assim, meio a contragosto, Bernardo arrumou as malas e veio para o Rio.

“Não queria. Fiz tudo para ficar lá, mas não quiseram. Sou profissional, o Vasco é um grande clube, aceitei o desafio. Agora que vim, não quero mais sair. O desejo hoje é outro: quero fazer história é no Vasco”, conta.

Bernardo foi apresentado em São Januário no dia 31 de janeiro, uma segunda-feira. A semana estava apenas começando e uma nova fase cheia de surpresas positivas também. De cara, treinou entre os reservas. Sorte a sua que fevereiro foi a mês da retomada vascaína no Campeonato Carioca. O time protagonizou o pior vexame de sua história na Taça Guanabara, o primeiro turno da competição estadual: quatro derrotas nas quatro primeiras rodadas.

Bernardo não sabia, mas o técnico Ricardo Gomes, que praticamente chegou com ele, era simpático ao seu futebol. Testava, sempre que podia, o meia nos treinos. Nos jogos, apenas no segundo tempo, já que o Vasco engatara uma sequência de vitórias e o treinador não quis mexer na equipe. Até que veio a derrota para o Macaé, na abertura da Taça Rio, segundo turno do estadual.

Contra o Duque de Caxias, Bernardo estreou entre os titulares. Saldo do jogo: vitória por 4 a 2, um gol, passe para o outro e muita movimentação. Mas a grande exibição veio na rodada seguinte, diante do Madureira. O Vasco venceu pelo mesmo placar, e ele balançou a rede nada menos do que três vezes. Nome do jogo, sua vida mudou no Rio, definitivamente.

“Nunca tive assédio, hoje tenho. Sou reconhecido nas ruas, isso é muito legal. Outro dia um moleque me parou no supermercado. Sou tímido, mas achei graça. Depois, fui me acostumando. A todo instante as pessoas vêm falar comigo”, diverte-se.

No Rio, instalou-se na Barra da Tijuca. A paixão que tinha por Belo Horizonte mudou de endereço. As belezas naturais da Cidade Maravilhosa foram outro ingrediente que fez mudar a sua cabeça. Se perguntar a ele o que é o Cruzeiro na sua escala de prioridade, a resposta está na ponta da língua:
“Não penso no Cruzeiro este ano. Soube do interesse do Vasco em me comprar e fiquei feliz. Por mim, ficaria até...por muito mais tempo. Por isso mandei trazer minha família de Belo Horizonte”, responde o meia, cujo empréstimo termina dia 31 de dezembro.“O Rio é um lugar lindo. Tem praias maravilhosas. A cidade é mais bonita do que Belo Horizonte. Não penso em sair daqui. Quero aproveitar minha passagem pelo Vasco para voltar à Seleção”, disse, referindo-se às convocações para as seleções de base do Brasil.
 

Leia tudo sobre: vascobernardo

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG