Tamanho do texto

Equipe carioca teve dois jogadores expulsos, mas conseguiu sair com a vitória de 1 a 0, com gol de Fred

Quando Fred abriu o placar, logo aos dois minutos de jogo, muitos torcedores do Fluminense se lembraram da goleada de 6 a 0 sobre o mesmo Arsenal de Sarandí, na Copa Libertadores de 2008. Porém, na noite desta terça-feira, o placar foi bem mais modesto e o drama bem maior. Em uma partida nervosa, com três expulsões, o Fluminense venceu pelo placar mínimo no estádio Engenhão, estreando com vitória no grupo 4 do torneio sul-americano.

Deixe seu recado e comente a notícia com outros torcedores

Após uma blitz inicial e o gol de Fred, o Fluminense diminuiu o ritmo e se segurou durante boa parte do primeiro tempo e em quase toda a segunda etapa. Para aumentar o drama, Wagner e Leandro Euzébio foram expulsos pelo lado tricolor. Aguirre também levou o vermelho para o Arsenal. No final, se segurando de qualquer maneira, o time das Laranjeiras conseguiu os três pontos e a liderança provisória da chave.

Leia também:  Setores esgotam e cambistas agem livremente na estreia do Flu

Pela Libertadores , o Fluminense só volta a campo dentro de um mês, no dia 7 de março, contra o Boca Juniors, na Bombonera. A próxima partida do time carioca acontece no próximo domingo, contra o Vasco, às 19h30, no Engenhão. O time de Abel Braga é atualmente o terceiro colocado do grupo B da Taça Guanabara, com sete pontos.

Blitz e gol
Muitos torcedores ainda entravam no estádio Engenhão para acompanhar estreia do Fluminense na Libertadores, quando o time carioca começou uma blitz sobre o adversário. Tocando em velocidade, com o apoio dos dois laterais, o time das Laranjeiras chegou ao gol logo aos dois minutos da primeira etapa.

Bruno recebeu de Deco e cruzou da direita. A bola passou por toda a área do Arsenal. Carlinhos evitou a saída e fez boa jogada na linha de fundo, tocando para trás. Fred pegou a sobra da zaga e chutou forte, no canto direito do gol de Campestrini, para alegria do técnico Abel Braga, que vibrou muito com o tento.

Rafael Sóbis se movimentava entre o ataque e a meia direita, mudando o esquema de um 4-4-2 para um 4-2-3-1 em alguns momentos da partida. As chances continuaram sendo criadas. Aos 24 minutos, Wagner bateu falta no meio da barreira e Campestrini espalmou para o lado. Cinco minutos depois, Wagner puxou contra-ataque e deixou com Deco, que deu lindo passe para Fred. O atacante entrou na área, deixou Burdisso no chão, mas concluiu muito mal, nas mãos do goleiro do Arsenal.

Flu diminui o ritmo e é pressionado
Com o passar do tempo, o Fluminense diminuiu muito o ritmo, errando passes e permitindo que o Arsenal começasse a pressionar. A defesa apresentava falhas, mal posicionada, mas contava com a sorte. Dois impedimentos foram marcados erradamente contra o time argentino. Rafael Sóbis, apagado na partida, irritava os torcedores. Em dois lances seguidos, o Arsenal não empatou por muito pouco.

Aos 35, Leguizamon recebeu lançamento pela direita e saiu na cara de Diego Cavalieri, que fez grande defesa com os pés, impedindo o empate. Um minuto depois, Carbonero cabeceou completamente livre, na pequena área, mas a bola bateu no cão e subiu, passando sobre o travessão. O Fluminense conseguiu segurar o empate até o apito do final do primeiro tempo, deixando o campo sob uma mistura de aplausos e vaias.

As equipes voltaram sem alterações, e sem alterações o panorama da partida continuou. O Arsenal continuou pressionando, melhor na partida. Aos três minutos da segunda etapa, Zelaya subiu mais que a zaga e cabeceou para boa defesa de Cavalieri.

Pedidos por Thiago Neves e confusão
O time argentino perdia várias chances, enquanto a torcida perdia a paciência e começava uma campanha para a entrada de Thiago Neves. O técnico Abel Braga atendeu os pedidos aos 20, colocando o meia no lugar de Rafael Sóbis.

A alteração foi ofuscada por uma confusão, minutos depois. Wagner recebeu falta de Aguirre, os dois trocaram chutes e começaram uma briga generalizada. O árbitro Antônio Arias não quis saber das reclamações e expulsou os dois jogadores. Nos acréscimos, o zagueiro Leandro Euzébio também recebeu o cartão vermelho, aumentando a pressão do Arsenal. O Fluminense conseguiu se segurar da maneira que podia e terminou com a vitória na estreia da Libertadores.

FICHA TÉCNICA – FLUMINENSE 1 X 0 ARSENAL-ARG
Local: Estádio Olímpico João Havelange, o Engenhão, no Rio de Janeiro (RJ)
Data: 7 de fevereiro de 2012 (Terça-feira)
Horário : 22h(de Brasília)
Público: 28.928 (presentes)
Renda: R$ 765.415,00
Árbitro: Antônio Arias (Paraguai)
Assistentes: Nicolás Yegros (Paraguai) e Hugo Martínez (Paraguai)
Cartões amarelos: Deco, Fred (FLU); Torres (ARS)
Cartões vermelhos : Wagner e Leandro Euzébio (FLU); Aguirre (ARS)

GOLS
Fluminense – Fred, aos dois minutos do primeiro tempo

FLUMINENSE : Diego Cavalieri, Bruno, Anderson, Leandro Euzébio e Carlinhos; Edinho, Diguinho (Digão), Wagner e Deco (Wellington Nem); Rafael Sóbis (Thiago Neves) e Fred
Técnico: Abel Braga

ARSENAL: Cristian Campestrini, Hugo Nervo (Adrián González), Lisandro López, Guillermo Burdisso e Damián Pérez; Iván Marcone, Carlos Carbonero, Gastón Esmerado (Torres) e Nicolás Aguirre; Emilio Zelaya (Cordoba) e Leguizamon
Técnico: Gustavo Alfaro

Ajude a aumentar a torcida virtual do Fluminense