Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Em jogo de tradição, Muricy esnoba campanha do Peñarol

Muricy minimiza trajetória dos uruguaios na competição continental e destaca campanha do Santos

Samir Carvalho, iG Santos |

A tradição de Santos e Peñarol será colocada em jogo na final da Copa Libertadores da América. Além das finais disputadas e dos títulos conquistados na história da competição continental, os dois times deixaram para trás equipes favoritas ao título da edição de 2011. No entanto, o técnico Muricy Ramalho esnoba a campanha dos uruguaios até chegar à final.

“Sim que o Peñarol tem título e eliminou muita gente de tradição, mas e aí? Nós também eliminamos o time mais rico do México, do América, o campeão colombiano (Once Caldas), e quem mesmo?”, perguntou Muricy ao assessor de imprensa do Santos, e ouviu a lembrança do Cerro Porteño.

“Ah, é verdade, um time que também disputou quatrocentas Libertadores. É tudo igual. Também temos tradição”, destacou Muricy.

O Peñarol se classificou em segundo lugar do grupo 8 da Libertadores, com oito pontos ganhos. O grupo era formado por LDU, que ficou na primeira colocação, Independiente, terceiro colocado, e Godoy Cruz, lanterna do grupo.

Nas finais, o time uruguaio eliminou equipe de mais tradição até chegar a final. Nas oitavas, o Peñarol passou pelo Internacional após empatar em casa por 1 a 1 e vencer por 2 a 1 em Porto Alegre. Nas quartas de final, a vítima foi o Universidad Católica, do Chile. O Peñarol venceu no Uruguai por 2 a 0 e perdeu no Chile por 2 a 1, e conquistou a classificação devido o gol fora de casa.

No entanto, o grande desafio dos uruguaios foi superar o Vélez Sarsfield, da Argentina na semifinais. Após vencer no Uruguai por 1 a 0, o Peñarol perdeu por 2 a 1, e mais uma vez ficou com a vaga devido ao gol marcado no campo do adversário.

Já o Santos se classificou na segunda colocação do grupo 5, que teve o Cerro Porteño como o líder, o Colo Colo na terceira posição e o Deportivo Táchira na última colocação. Durante as fases finais, os santistas eliminaram o América, do México, o Once Caldas, da Colômbia, e o Cerro Porteño.

No duelo geral da Libertadores o Peñarol leva vantagem. Em 38 edições, a equipe uruguaia chegou a dez finais e conquistou cinco títulos, enquanto o Santos disputou quatro decisões e ganhou duas.
 

Leia tudo sobre: SantosMuricy RamalhoCopa Libertadores

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG