Tamanho do texto

Entidade divulgou que, em comparação com 2010, primeiro mês de 2011 foi mais agitado no mercado da bola

A Fifa anunciou, nesta quinta-feira, que durante o mês de janeiro foram realizadas 2.451 contratações internacionais, o que supõe um aumento de 104% com relação ao ano passado. A quantia gasta em todas essas transações ficou em cerca de US$ 320 milhões.

A informação confirma como foi agitado o mercado do inverno europeu, o que é uma surpresa. Afinal, não é nesse período que os times costumavam investir para reforçar seus elencos. Dessa vez, porém, contratações milionárias aconteceram, inclusive o sexto mais caro negócio da história - a saída de Fernando Torres, ex-Liverpool, para o Chelsea.

Aliás, a transferência do brasileiro David Luiz do Benfica para o Chelsea foi uma das últimas em janeiro, realizada quando só faltavam dois minutos para o fechamento do prazo, segundo o TMS (Sistema de Correlação de Transferências) da Fifa (Federação Internacional de Futebol e Associados). A entidade explicou que mais de 4 mil clubes utilizam esse seu sistema de registro de transferências.

A Fifa disse que, com o TMS, obrigatório para todas as transferências internacionais desde o dia 1º de outubro de 2010, o clube comprador e o vendedor têm que coincidir na série de dados que proporcionam, para que se aprove a expedição do CTI (Certificado de Transferência Internacional).

"Quando os dois clubes entram em acordo, os trâmites de uma transferência pela Internet com o TMS podem durar entre 20 e 40 minutos", explicou Mark Goddard, diretor-geral do TMS.

A Fifa esclareceu que seu Departamento de Integridade e Cumprimento do TMS é o responsável por fazer o acompanhamento de todas as transferências, cujos dados estão disponíveis pela Internet para sua análise e revisão.

* Com EFE

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.