Tamanho do texto

'Fenômeno' foi ao local da obra do estádio corintiano, que receberá a abertura da Copa, e fez a alegria dos operários

Ronaldo foi o centro das atenções no Itaquerão: “Eu já era, só se for pelada”
Guilherme Tosetto
Ronaldo foi o centro das atenções no Itaquerão: “Eu já era, só se for pelada”
Os mais de 500 operários da obra do estádio do futuro estádio do Corinthians, em Itaquera (zona leste de São Paulo), estavam almoçando quando Ronaldo chegou, às 13h desta quinta-feira. Ao lado do presidente do clube, Andrés Sanchez, do prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, e do governador do estado, Geraldo Alckmin, o ex-jogador foi convidado para a festa do anúncio de São Paulo como abertura da Copa de 2014 .

Carismático, ídolo da seleção e do Corinthians, Ronaldo ofuscou todos os políticos.

Veja a tabela de jogos da Copa do Mundo de 2014

A chegada do ex-atacante interrompeu o almoço da maioria dos operários. “Aê Ronaldo! Olha aqui”, gritavam no refeitório da obra. O ex-jogador puxou a trupe de autoridades. Como político em campanha, posou para fotos, acenou para quem o chamava e sorriu.

Leia também : Casa da CBF, Rio assistirá à seleção apenas em eventual final

No trajeto de quase 10 minutos pelo refeitório foi ignorado apenas por alguns menos empolgados. “Hoje está difícil de almoçar aqui”, reclamou um dos operários, enquanto colegas se amontoavam e tentavam tirar fotos ao redor da caravana de Ronaldo.

Kassab e Alckmin eram só sorrisos. Após sair do refeitório, Ronaldo, sempre com o presidente do Corinthians ao seu lado, foi visitar as outras instalações da obra do estádio.
Os passos do atacante tinham que ser lentos. Em volta dele, além das autoridades e dos fãs, repórteres, fotógrafos e cinegrafistas o cercavam por todas as partes.

“Entra com a gente aqui Ronaldo”, implorava um produtor de televisão, que ouviu um “depois”. “Mas a gente está ao vivo”, insistiu. “Vocês vão ficar mais duas horas ao vivo”, respondeu o "Fenômeno", rindo.

Depois de mais de meia hora de carreata, Ronaldo enfim conseguiu entrar na sala, onde havia um telão para acompanhar a transmissão do anúncio do calendário da Copa. Sentado ao lado do ex-lateral Cafu (capitão do penta, em 2002) e Kassab, vibrou quando, de Zurique, o presidente da CBF (Confederação Brasileira de Futebol), Ricardo Teixeira confirmou que São Paulo receberia a abertura da Copa.

Após a festa, que durou cerca de 5 minutos, todos foram ao local onde será o campo do estádio. Cercado por jornalistas e operários da obra, Ronaldo ouvia o seu nome gritado por todos os lados.
“Ronaldo, você ainda vai fazer muito gol aqui”, disse um fã. “Eu já era, só se for pelada”, respondeu, sempre rindo. “Então vem jogar com a gente aqui”, pediu o torcedor. “Tá bom, tá bom”, disse Ronaldo.
Além do assédio, das fotos e acenos, ele também já faz promessas como político.

Ronaldo e Cafu se juntam a políticos na festa em Itaquera. Veja as fotos

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.